Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 21/02/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

O Programa A Melhor Carne do Mundo (1) - (Folha do Sul, Bagé)

Informação | 27 de Fevereiro de 2013

Artigo_Folha do Sul_20 fev 13

Foto: Divulgação/Assessoria

*Fernando Furtado Velloso, 19 de fevereiro de 2013

O Programa do Governo do RS intitulado inicialmente de A Melhor Carne do Mundo teve a sua pedra fundamental em evento no Galpão Crioulo do Palácio Piratini em 05 de abril de 2011.  Não esqueço o local porque estava presente e não esqueço a data porque foi o dia que meu filho Bento nasceu. Fui convidado pelo Sr. Eduardo Linhares (integrante do Conselhão do governo Tarso), a apresentar os desafios e oportunidades da carne gaúcha. Assim fizemos e aparentemente motivamos os presentes a pensar e agir setorialmente pela pecuária. Ali foi lançada a primeira semente oficial do Instituto Gaúcho da Carne.

O desdobramento deste evento (aparentemente exitoso) foi o da estruturação oficial do trabalho. Foi reinstalada a Câmara Setorial da Carne Bovina com diversos representantes do setor como Farsul, Sicadergs, Embrapa, Fundesa, Federacite, MAPA, Famurs, UFRGS, etc e com a importante coordenação e suporte da SEAPA. Já no princípio foi realizado um Seminário muito bem conduzido para dar método e organização às atividades da Câmara. A formação de Grupos de Trabalhos (Sanidade, Mercado e Rastreabilidade) com áreas de discussão bem definidas foi um importante resultado deste seminário, e assim seguiu o trabalho da câmara.

As reuniões dos Grupos de Trabalho resultaram em uma série de proposições de ações necessárias para o desenvolvimento do negócio Carne Gaúcha: desenvolvimento e marketing do produto, promoção dos valores e diferenciais da nossa carne, fortalecimento dos programas de sanidade animal, assistência técnica, certificações, rastreabilidade, etc. Passamos então a etapa da discussão do como fazer e voltamos a perceber a necessidade de um instituto para execução ou suporte de todas estas frentes, pois as entidades presentes na câmara estavam (e estão) ali como colaboradoras, mas sem condições de execução. Pode-se dizer que a grande maioria fechou na questão que o Instituto Gaúcho da Carne era uma necessidade e a via de enfrentar os desafios de nosso setor. Nada se faz sem recursos e força de trabalho e um fundo da cadeia seria o possível mantenedor do instituto, aí a cousa complicou...

Tão logo começamos a somente discutir o formato do possível fundo a ser arrecadado no abate dos animais o trabalho literalmente trancou. Chegamos ao ponto de ouvir que não tinhas competência para discutir o assunto e que aquele fórum não era o local para tal discussão. Bom, se a Câmara Setorial da Carne não é fórum para tal discussão, onde será? Aí ficou claro que as resistências eram internas e que nosso inimigo não é sempre a indústria ou o varejo. O natural e esperado esvaziamento de presenças na câmara, ou pelo menos, esfriamento das motivações foi ocorrendo.

Incorremos no mesmo e velho histórico problema da gauchada: preocupa-nos mais saber se vão mexer no meu queijo do que fazer o nosso queijo crescer... Passados quase dois anos, muito pouca coisa avançou neste trabalho todo. O Bento já caminha, corre e leva seus tombos, mas o Instituto e a tal Melhor Carne do Mundo seguem embrionários.  É nosso hábito buscar culpados pelos nossos problemas, mas estou achando que neste caso o problema somos nós mesmos.

(Publicado no Jornal Folha do Sul - Bagé, 20 fev 13)

Maisartigos

  • Negocio Direto: fazendo em vez de esperar

    Informação, Mercado | 14 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A ação é melhor que a inércia. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé, e por aí vai. O propósito deste meu texto é compartilhar algumas informações sobre o Grupo de Produtores...
  • EAD pode causar prejuízos na formação do médico veterinário

    Informação | 09 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por João Carlos Gonzales, presidente da Academia Rio-Grandense de Medicina Veterinária

    A recente autorização governamental para que instituições com curso de medicina veterinária utilizem 40% do tempo na forma de ensino a distância (EAD), isto é, por correspondência e/ou internet, despertou a atenção para pos...
  • SC: Verdi realiza bonificação dos primeiros animais Hereford e Braford

    Informação | 06 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Frigorífico catarinense e ABHB fizeram abate certificado pelo programa Carne Pampa Aconteceu no dia 4 de fevereiro o primeiro abate experimental certificado pelo Programa Carne Pampa, da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) do Frigorífico Verdi, localizado no município de Pouso Redondo (SC). Foram reu...
  • ABS NEO: Produtor comemora taxa de prenhez acima de 55% com o uso de embriões

    Informação | 06 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Resultado foi registrado na Fazenda Maranata, no norte do Tocantins O ABS NEO vem se tornando um produto cada vez mais popular entre os produtores. Após decidir investir na solução genética da ABS, um produtor do norte do Tocantins obteve resultados impressionantes já na primeira aplicação - com 204 embriões tra...
  • Angus Austrália: ganhos com a seleção para docilidade

    Informação | 30 de Janeiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Uma das características em que os pecuaristas dão alto nível de importância ao tomar decisões de seleção, se não a característica mais importante, é o temperamento. Esta importância foi destacada em uma pesquisa recente com mais de 1.200 produtores de carne bovina na Austrália, que constatou que o temperamen...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais