Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 08/07/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Ainda sobre o trânsito de equinos

Informação | 27 de Junho de 2013

Encontro....

Foto: Divulgação/Assessoria

por Fernando Furtado Velloso

Acompanhei com especial curiosidade a polêmica das exigências para trânsito de equinos no RS (tema ainda não resolvido a pleno). De acordo com as instruções da Secretaria da Agricultura, o trânsito de equinos deve ocorrer somente com a posse da Guia de Trânsito Animal (GTA) e com os exames negativos para Anemia Infecciosa Equina. O não cumprimento prevê até multa ao proprietário de mais de R$ 1 mil por animal. Recentemente, os prazos foram alargados e divulgada a liberação da exigência até o final de 2013. O objetivo do controle se baseia na prevenção de doenças em equinos e para se evitar o ingresso de novas enfermidadas no Estado. Parece-me muito bem e que o cuidado é devido, mas me preocupou desde o princípio o critério de prioridade. Se vamos dedicar recursos e tempo do Estado no controle efetivo deste assunto, pressupõe-se que as demais doenças relacionadas aos animais de produção ou companhia estão bem cuidadas. Será?

Em uma análise bem simplista de ordem de prioridade no controle de enfermidades e trânsito de animais, pensei no seguinte:

a) produtos de origem animal – rebanhos que produzem alimento ao ser humano deveriam ser os primeiros a receber toda a atenção do Estado (tuberculose, brucelose, etc.);
b) zoonoses e animais de companhia: são diversas e conhecidas as zoonoses (doenças transmitidas do animal para o homem) que podem afetar o ser humano e o descontrole da população de cães abandonados em nossos centros urbanos é uma ameaça permanente à saúde pública (e aí entra o exemplo da Leishmaniose e outras);
c) enfermidades que afetam o mercado da carne e bovinos: na linha de frente está a Febre Aftosa, que restringe em muito o nosso mercado para venda de carne, mas no mercado de bovinos (reprodutores e genética) existe uma gama grande de doença que limitam o comércio e que não temos sequer levantamento epidemiológico, programas oficiais, etc.

Na condição de Médico Veterinário recebi puxões de orelha e advertências de outros colegas que defendem fervorosamente o controle do trânsito de equinos (até mesmo aquele que é usado para passeio, no final de semana, em algum corredor por aí). Lamento colegas, mas acredito que as prioridades vêm primeiro. Quando os itens A, B e C acima estiverem bem cuidados pelo serviço oficial, sou parceiro para defender o trânsito controlado de equinos. Não sou epidemiologista e nem especialista no tema, mas para assunto de raciocínio tão simples e lógico me arrisco opinar somente com a graduação em Veterinária.   

Publicado no Jornal Folha do Sul, Caderno Campo (27 jun 13)

Maisartigos

  • Seleção genômica em Hereford e Braford

    Genética, Informação | 01 de Julho de 2020
    Foto: Associação Brasileira de Hereford e Braford
    Por Marcos Jun-Iti Yokoo Até pouco tempo, nos programas de avaliação genética e seleção de bovinos de corte, a seleção assistida por marcadores moleculares utilizando-se de poucos marcadores do tipo microssatélites, salvo algumas exceções, não foi muito eficiente, uma vez que, geralmente, as características...
  • Comercialização Virtual de Terneiros no Período da Pandemia do Covid-19: Análise Preliminar

    Informação | 29 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O NESPro conduziu um projeto, por quatro meses, com a finalidade de avaliar o comportamento dos agentes do mercado de terneiros de corte no RS. Esse projeto foi desenvolvido em resposta a uma conjuntura atípica, a pandemia pelo Covid-19, a qual estabeleceu um distanciamento social, que proibiu a concentração de pessoa...
  • Tecnologia à frente: Inseminação Artificial avança no primeiro trimestre

    Informação, Mercado | 18 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha A ASBIA (Associação Brasileira de Inseminação Artificial), entidade que participo da atual gestão, divulgou publicamente, no início de maio, o relatório INDEX ASBIA 1º Trimestre/2020. Os dados são recebidos de todas centrais afiliadas ...
  • RS - Rumo a um novo status sanitário

    Informação | 04 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Livre de Aftosa sem Vacinação
    Por Júlio Barcellos; Tamara E. de Oliveira; Anna I. C. Pereira Suñé


    O contexto: O Estado do Rio Grande do Sul, por meio de seu serviço veterinário oficial e a ação dos pecuaristas, durante os meses de março e abril, realizou a sua última campanha de vacinação previamente à apresen...
  • COVID: o empurrão que faltava aos leilões virtuais e certificados

    Informação, Leilões, Mercado | 15 de Maio de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha As vantagens dos leilões virtuais em relações aos leilões presenciais são inúmeras: não necessidade de transporte do gado para um recinto, venda com o peso da fazenda (sem quebras de transporte e manejo), menor stress para os animais (be...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais