Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Carrego muitos setembros nos peçuelos da memória

Informação | 19 de Setembro de 2013

20 de Setembro

Foto: Divulgação/Assessoria

Por Fernando Furtado Velloso
Apesar de novo, carrego muitos setembros nos peçuelos da memória (como diz a música). Meu primeiro 20 de setembro oficial foi em 1985 e, na ocasião, desfilei no grupo da gurizada e dos petiços em Livramento (Movimento Nativo Upamoroti). Na época, esse assunto de gauchadas era bem coisa dita de “grosso”, especialmente para o pessoal da nossa capital. Mas com a naturalidade da criança e apoio da família eu cruzei a Andradas na contramão com orgulho e garbo de cavaleiro.

De lá pra cá (e se passaram mais de 25 anos), muito coisa mudou. A bombacha transita por todos os lados (até no brique da Redenção) e a pilcha tornou-se traje oficial no RS. Sejam dados muitos créditos ao Cavalo Crioulo e a ABCCC, que levaram a bota e a bombacha para todoo RS e, depois, para fora dele. De coisa de “bacudo” a bombacha virou quase moda para alguns mais urbanos, pelo menos na Expointer, Semana Farroupilha e Credenciadoras.

Transportando o assunto para a pecuária, sempre ouvi muitos críticos indicando que o gauchismo era uma das grandes causas de alguns atrasos no campo, alegando que o tradicionalismo era o responsável pelos baixos índices produtivos, pelas práticas inadequadas de manejo e no trato com os animais. Sempre lamentei muito em ouvir este tipo de distorção e também do tom pejorativo que muitos se referem ao “gauchinho”. Pois bem, ouvi e copio de um amigo que sempre repetia que “só há problema quando as bombachas saem das pernas e sobem para a cabeça”. Tradição e tecnologia, cultura e produtividade, pilchas e eficiência no campo podem viver em harmonia e já estão alinhadas em muitas propriedades de nosso Estado.

Aliar produção e carne de qualidade com história, cultura e valores do campo é um trunfo do RS. É um diferencial competitivo e será cada vez mais. Os que criticam gratuitamente as nossas tradições e formação cultural por certo não têm o DNA do campo. Encerro por aqui e me despeço. Já é passada a hora de imalar arreios pra quebrar mais um 20!

 

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais