Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 08/07/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Carrego muitos setembros nos peçuelos da memória

Informação | 19 de Setembro de 2013

20 de Setembro

Foto: Divulgação/Assessoria

Por Fernando Furtado Velloso
Apesar de novo, carrego muitos setembros nos peçuelos da memória (como diz a música). Meu primeiro 20 de setembro oficial foi em 1985 e, na ocasião, desfilei no grupo da gurizada e dos petiços em Livramento (Movimento Nativo Upamoroti). Na época, esse assunto de gauchadas era bem coisa dita de “grosso”, especialmente para o pessoal da nossa capital. Mas com a naturalidade da criança e apoio da família eu cruzei a Andradas na contramão com orgulho e garbo de cavaleiro.

De lá pra cá (e se passaram mais de 25 anos), muito coisa mudou. A bombacha transita por todos os lados (até no brique da Redenção) e a pilcha tornou-se traje oficial no RS. Sejam dados muitos créditos ao Cavalo Crioulo e a ABCCC, que levaram a bota e a bombacha para todoo RS e, depois, para fora dele. De coisa de “bacudo” a bombacha virou quase moda para alguns mais urbanos, pelo menos na Expointer, Semana Farroupilha e Credenciadoras.

Transportando o assunto para a pecuária, sempre ouvi muitos críticos indicando que o gauchismo era uma das grandes causas de alguns atrasos no campo, alegando que o tradicionalismo era o responsável pelos baixos índices produtivos, pelas práticas inadequadas de manejo e no trato com os animais. Sempre lamentei muito em ouvir este tipo de distorção e também do tom pejorativo que muitos se referem ao “gauchinho”. Pois bem, ouvi e copio de um amigo que sempre repetia que “só há problema quando as bombachas saem das pernas e sobem para a cabeça”. Tradição e tecnologia, cultura e produtividade, pilchas e eficiência no campo podem viver em harmonia e já estão alinhadas em muitas propriedades de nosso Estado.

Aliar produção e carne de qualidade com história, cultura e valores do campo é um trunfo do RS. É um diferencial competitivo e será cada vez mais. Os que criticam gratuitamente as nossas tradições e formação cultural por certo não têm o DNA do campo. Encerro por aqui e me despeço. Já é passada a hora de imalar arreios pra quebrar mais um 20!

 

Maisartigos

  • Seleção genômica em Hereford e Braford

    Genética, Informação | 01 de Julho de 2020
    Foto: Associação Brasileira de Hereford e Braford
    Por Marcos Jun-Iti Yokoo Até pouco tempo, nos programas de avaliação genética e seleção de bovinos de corte, a seleção assistida por marcadores moleculares utilizando-se de poucos marcadores do tipo microssatélites, salvo algumas exceções, não foi muito eficiente, uma vez que, geralmente, as características...
  • Comercialização Virtual de Terneiros no Período da Pandemia do Covid-19: Análise Preliminar

    Informação | 29 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O NESPro conduziu um projeto, por quatro meses, com a finalidade de avaliar o comportamento dos agentes do mercado de terneiros de corte no RS. Esse projeto foi desenvolvido em resposta a uma conjuntura atípica, a pandemia pelo Covid-19, a qual estabeleceu um distanciamento social, que proibiu a concentração de pessoa...
  • Tecnologia à frente: Inseminação Artificial avança no primeiro trimestre

    Informação, Mercado | 18 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha A ASBIA (Associação Brasileira de Inseminação Artificial), entidade que participo da atual gestão, divulgou publicamente, no início de maio, o relatório INDEX ASBIA 1º Trimestre/2020. Os dados são recebidos de todas centrais afiliadas ...
  • RS - Rumo a um novo status sanitário

    Informação | 04 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Livre de Aftosa sem Vacinação
    Por Júlio Barcellos; Tamara E. de Oliveira; Anna I. C. Pereira Suñé


    O contexto: O Estado do Rio Grande do Sul, por meio de seu serviço veterinário oficial e a ação dos pecuaristas, durante os meses de março e abril, realizou a sua última campanha de vacinação previamente à apresen...
  • COVID: o empurrão que faltava aos leilões virtuais e certificados

    Informação, Leilões, Mercado | 15 de Maio de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha As vantagens dos leilões virtuais em relações aos leilões presenciais são inúmeras: não necessidade de transporte do gado para um recinto, venda com o peso da fazenda (sem quebras de transporte e manejo), menor stress para os animais (be...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais