Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 31/03/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

IATF - Eficiência no gado de cria (Marcelo Valente Selistre, ABS Pecplan)

Reprodução | 06 de Dezembro de 2013

Fertility plus

Foto: Divulgação/Assessoria

Por Marcelo Valente Selistre (ABS Pecplan) 

O agronegócio tem cada vez mais importância na economia brasileira. E cada vez mais, aumenta o desafio dos produtores, pois os custos de produção sobem e assim precisamos ser mais eficientes na produção. O Brasil, com área disponível, clima favorável e vocação para o campo, tem um enorme potencial para suprir grande parte da necessidade de alimentos no futuro. Mas tem que aumentar a produção de forma sustentável, com responsabilidade ecológica, social e financeira.

A pecuária de corte por sua vez tem um grande futuro, pois o boi é um dos poucos animais que não compete com o homem, transforma pasto em proteína nobre e saudável. Cabe a nós aumentar a produção de carne em quantidade e qualidade.

Com a intensificação da pecuária, é possível terminar um animal jovem, precoce, com velocidade de ganho de peso, alto rendimento e qualidade de carcaça, porém a reposição deste boi passa a ser o gargalo deste sistema, então produzir este novilho passa a ser a melhor alternativa, porque garante qualidade genética, procedência e desenvolvimento adequado.

Neste momento, a cria ganha muita importância, pois com o conhecimento, informação e tecnologias disponíveis, é possível ter alta produtividade, com desfrute e rentabilidade competitivos com outras atividades. O avanço da agricultura é mais um fator positivo à pecuária, pois ajuda na renovação de pastagens e há uma sobra de sub-produtos que podem ser utilizados na suplementação animal, há que se aproveitar o máximo dos benfícios da integração lavoura-pecuária.

A dificuldade de aumentar o desfrute na cria ocorre pelo alto estoque de animais adultos e baixa capacidade de alívio de carga, associado, na maioria dos casos, com falta de planejamento da atividade, estação de monta longa, grande intervalo entre partos, época de nascimento inadequada e manter vacas vazias no rebanho.

O que mais impacta positivamente a rentabilidade da cria é ter uma estação de monta curta, na época ideal, com uma boa taxa de prenhez, descartar as vacas vazias e usar o cruzamento industrial.

A IATF é a ferramenta que possibilita todas estas ações, de maneira programada, pois é uma tecnologia que permite:

• Ter mais vacas prenhes no início da estação, com a possibilidade de inseminá-las no pós-parto recente, a partir de 30 dias, reduzindo o intervalo entre partos.
• Parição “do cedo”, onde as vacas têm maiores chances de repetição de cria. Os terneiros nascidos na melhor época de pasto da propriedade, tem melhor desenvolvimento e reduzem a idade de abate e reprodução
• Inseminar em grande escala. Existem diversas fazendas que não possuem touros, projetos com 100% de inseminação.
• Melhoramento genético, através do uso de touros provados, bem como maior pressão de seleção das fêmeas de reposição, pela melhora dos índices reprodutivos.
• Cruzamento industrial, o uso de genética taurina em vacas zebuínas só é possível através da inseminação. Com a heterose o desempenho em ganho de peso é de 15 a 20% maior, maior velocidade de produção, o produto tem valor agregado e de alta demanda de mercado.

Enfim, a IATF é uma tecnologia que melhora a eficiência de produção e permite cumprir o planejamento da cria.

No gado de corte do Brasil, a maioria das doses de sêmen são utilizadas via IATF, em torno de 65%, com a tendência de crescimento ano a ano. Um dos gargalos da inseminação é a mão-de-obra, com a IATF, qualquer produtor pode inseminar suas vacas com a terceirização de serviço.
Com a importância da IATF, a ABS Pecplan formou o Grupo IATF, com veterinários de norte a sul do país, abrangendo 15 estados e mais de 300 mil informações de inseminações com touros ABS. Com toda a confiança desta base de dados, conseguimos identificar touros com fertilidade superior à média na IATF, foi criado o SELO IATF, para o cliente saber quais são os touros com esta característica. Fertilidade do sêmen é de interesse total da ABS, pois garante a satisfação do cliente e a continuidade no mercado ano a ano.
Hoje vivemos uma nova fase da pecuária, com a necessidade de agregar valor ao produto, ter maior precocidade do ciclo todo (reprodução e abate) e o máximo desempenho por área. Existem tecnologias para aumentar a eficiência de produção, a intensificação é o único caminho para o crescimento e viabilidade da atividade pecuária.

Fertility plus

A fertilidade do sêmen é um fator muito importante na decisão de compra, tem forte impacto nos resultados da inseminação e consequentemente da produtividade da cria.
Fertility Plus é o sêmen heterospérmico, ou seja, o ejaculado de 3 diferentes touros na mesma dose inseminante com o objetivo de melhorar a fertilidade.
O Fertility Plus emprenha mais? Não, o Fertility Plus dá maior segurança de resultados de prenhez.
Esta segurança de resultado em prenhez, ocorre pela diminuição da variabilidade da qualidade de sêmen entre touros e partidas e o maior tempo de viabilidade do espermatozoide dentro da vaca, por conta da complementariedade do plasma seminal e taxas de capacitação espermática.
O índice de concepção depende de vários fatores, quando encontramos uma condição ideal, o Fertility Plus não tem diferença de resultado, porém quando o desafio aumenta, aparecem os benefícios desta tecnologia.

Assim, nossa indicação do uso do Fertility Plus:

• IATF em gado de corte
• Inseminação de vacas leiteiras no verão
• Primíparas
• Vacas com baixa condição corporal
• Lotes grandes, acima de 200 vacas
A análise dos resultados gerados pelo grupo IATF, comparando a média de prenhez do Fertility Plus com o sêmen convencional, da raça Angus, o Fertility Plus teve 3% a mais de prenhez, conforme o gráfico:

O Fertility Plus é uma tecnologia exclusiva da ABS, segurança no melhor resultado em fertilidade na inseminação.


Maisartigos

  • Produção de touros: negócio para especialista

    Genética, Informação | 15 de Março de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Na pecuária de corte, algumas pessoas dividem os produtores em dois grupos: o do pecuarista comercial, dedicado a produzir terneiros, à recria ou a animais para abate; e o do pecuarista produtor de touros, envolvido com rebanhos de gado “puro...
  • Os benefícios visíveis do quilo da carne

    Carne, Informação | 28 de Fevereiro de 2020
    Foto: Imagens da Internet
    Na segunda-feira, dia 17, o artigo “Os custos invisíveis do quilo da carne”, publicado nesta Folha, sugeriu a relação entre impostos e desmatamento, raciocínio formulado a partir de dois estudos recentes. Sem nenhuma repreensão aos autores, julgamos importante esclarecer alguns pontos para que decisões equivoca...
  • O diálogo necessário entre agricultura e meio ambiente

    Informação | 28 de Fevereiro de 2020
    Foto: Imagens da Internet
    Em vez do ‘nós contra eles’, é preciso compatibilizar as agendas globais do clima e da alimentação. Os dois setores da economia brasileira com maior visibilidade global são a agricultura e o meio ambiente. O protagonismo da agricultura brasileira se dá no comércio global de commodities agropecuárias. Nossa ...
  • Negocio Direto: fazendo em vez de esperar

    Informação, Mercado | 14 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A ação é melhor que a inércia. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé, e por aí vai. O propósito deste meu texto é compartilhar algumas informações sobre o Grupo de Produtores...
  • EAD pode causar prejuízos na formação do médico veterinário

    Informação | 09 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por João Carlos Gonzales, presidente da Academia Rio-Grandense de Medicina Veterinária

    A recente autorização governamental para que instituições com curso de medicina veterinária utilizem 40% do tempo na forma de ensino a distância (EAD), isto é, por correspondência e/ou internet, despertou a atenção para pos...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais