Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 09/12/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Cartão vermelho aos prepúcios - Parte I

Reprodução | 14 de Dezembro de 2013
Pedro Gonzalez Brasil, Médico Veterinário
Técnico Licenciado pela ABHB

Paradoxalmente inicio este artigo essencialmente técnico, com um dito popular: quem avisa amigo é!
Em meu currículo profissional, tive a honra de julgar, em seu auge, a raça Santa Gertrudes, em Esteio, Ribeirão Preto e Recife, convites estes advindos da procura daqueles criadores pelas normas e orientações técnicas de seleção por fertilidade, que pioneiramente, como sempre, nossa Associação Brasileira de Hereford (ainda não constava o Braford) determinava a tatuagem de ventres com prenhez ou cria ao pé e touros com atestado de fertilidade.

Nestes parâmetros de seleção por fertilidade, preocupava-nos a correção dos prepúcios, pois era comum encontrar touros com cirurgia de redução do prepúcio, espero que não estejamos indo no mesmo caminho...

“Alguns” de nossos jurados estão tendo o critério de penalizar animais com excesso de prepúcio, por si só, isso já é um sinal de alerta.
Infelizmente estamos absorvendo o palavrear dos países vizinhos:

- que o prepúcio não deve ultrapassar a linha do jarrete.
- que o importante é que o maneje bem
- que o importante é a angulação (45°)
- que o importante é a boca prepucial para frente.

Aparentemente, animais com mais barbela e prepúcio, são mais vistosos e carniceiros. Não esqueçam que o olho engana muito e que a zootecnia é mais ciência do que dom ou arte.
Para mim, como veterinário, prepúcio próximo à linha do jarrete (3-4) já é problema, é um risco de vida útil e funcional deste reprodutor, pois uma coisa é coletar um touro em central de Inseminação Artificial, onde a mão do veterinário ajuda a introdução na vagina, bem distinto do touro em serviço de monta a campo, pior em campos sujos.

Transcrevo as palavras do senhor Marcelo Silva, respeitado leiloeiro e grande conhecedor de touros: se queres vender touros no Brasil Central, não leve touros com qualquer vestígio de peleje e nunca prepúcio mais de 2, pois com o calor o prepúcio distende e ninguém irá comprá-los. Sábias palavras, que tenho como conhecimento técnico.

Encontramos na Revista Braford da Argentina, n° 65, página 56, trabalho científico (INTA MERCEDES), sob o título La Importancia Funcional Del Prepucio em Toros Braford: el tamaño y forma del prepucio afecta directamente el numero de saltos necessários para completar uma monta.

Assim a conclusão é que para cada ponto de prepúcio, o touro necessita um salto e meio a mais para completar a monta, pelo que touros com prepúcio maior de 3, devem ser descartados.

As notas para Tamanho de umbigo são de 1 a 5.
 
Escores Descrição
1 Correto
2 Bom
3 Regular
4 Admissível
5 Inaceitável
 
 

Como profissionais ou homens de campo, todos estamos acostumados a ver que primeiro o touro leva algum tempo de excitação antes de tentar o salto, que normalmente não se faz completo no primeiro salto, principalmente se em primiperas, mas sim no segundo ou terceiro salto. Portanto é contundente o fato de que touros prepúcios 3 a 4, necessitando 1,5 salto a mais para cada grau de prepúcio, necessitam de vários saltos para completar o serviço, com o consequente prematuro esgotamento físico, com grande impacto negativo nos índices de reprodução.

Como então encontrarmos tantos touros prepuciudos? Inclusive campeões? E em centrais de IA?
Os conceitos de Bonsma sobre anatomia e fisiologia da reprodução aplicadas na seleção zootécnica serão eternos, como a Sagrada Bíblia.
Não podemos perder o diferencial do nosso Braford brasileiro, entrando no jogo de aumentar os prepúcios para obter mais carne, com os consequentes e inevitáveis problemas de reprodução.
Espero jamais escutar de um técnico ou criador brasileiro, o que escutei recentemente de um jovem técnico argentino (colegas e amigos que lá tenho). Dr. Pedro, será possível reverter esta situação? Pelo que lhe respondi: os animais não têm culpa de nossos erros de seleção. Primeiro temos de começar pelo homem, principalmente por vocês, jovens profissionais...

Publicado no informativo Pampa Pampiano (Ed. XII, Novembro 2013)

Maisartigos

  • Anguistas e branguistas: é passada a hora do marmoreio

    Genética, Informação | 18 de Novembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A essa altura do campeonato da carne de qualidade no Brasil, zero novidade falar em marmoreio. Mas, para os selecionadores, especialmente das raças Angus e Brangus, é o momento de olhar e agir com mais atenção para animais superiores genetica...
  • Aliança Braford faz R$ 8,3 mil para touros em Lavras do Sul

    Informação | 27 de Outubro de 2019
    Foto: Katega Vaz
    Dando continuidade aos remates oficializados pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), foi realizado no último sábado, dia 19 de outubro, no Sindicato Rural de Lavras do Sul (RS), mais uma edição do Remate Aliança Braford, promovido pelas Estâncias Cochilhas, Pontezuela, Três Marias e São Bento. ...
  • Touros: do Colonial ao Genômico

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Redigo, hoje, influenciado pela atmosfera da temporada de primavera do Rio Grande do Sul, pois já foi dada alargada e ainda estou envolvido com acertos, fretes e documentos de alguns touros adquiridos para clientes no leilão da GAP Genética. R...
  • Genética Nacional: Panorama dos touros Angus e Brangus nas centrais de inseminação

    Genética, Informação, Mercado | 16 de Setembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Angus, Nelore e Brangus dominam o mercado de inseminação de bovinos de corte no Brasil. Exagero? Vamos aos números. Conforme a ASBIA, em 2018, as raças de corte venderam, no Brasil, aproximadamente, 9,6 milhões de doses. Da raça Angus, 4,9 milhões de doses foram vendidas; seguida por Nelore, com 3,3 milhões; e Br...
  • Touro Dupla Marca é a geladeira com selo A

    Genética, Informação | 15 de Agosto de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Redigir e discutir critérios de escolha de touros é tema que se repete, mas é matéria sem fim e que se renova a cada temporada de leilões de reprodutores e aquisição de sêmen. A necessidade se apresenta a cada ano, e os fatores que participam da decisão vão se tornando mais complexos com a incorporação cresce...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais