Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Pecuária em Alta: Teste de Progênie avalia capacidade reprodutiva dos touros Angus

Informação | 21 de Março de 2016

REALIZADO PELA ALTA GENETICS E PROGEN, O OBJETIVO É REUNIR DADOS QUE GABARITEM OS REPRODUTORES E NORTEIEM O TRABALHO DOS CRIADORES QUE UTILIZAM INSEMINAÇÃO ARTIFICIAL

A carência de touros brasilei­ros provados no mercado bra­sileiro é uma realidade. Atentas ao fato, a Alta Genetics e a Pro­gen, com o apoio da Associação Brasileira de Angus, Programa de Melhoramento de Bovinos de Carne (Promebo) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agrope­cuária (Embrapa), iniciaram, no ano passado, um Teste de Pro­gênie da raça Angus para avaliar a capacidade reprodutiva dos touros, levando em consideração seus descendentes e permitindo catalogar uma série de informa­ções, como taxa de prenhez na Inseminação Artificial de Tempo Fixo (IATF) e os dados técnicos de Diferença Esperada de Progê­nies (DEPs).

O lançamento oficial foi realizado na Expointer, na cidade de Esteio, no Rio Grande do Sul, considerada uma das maiores feiras de exposição de animais da América Latina. Para dar an­damento ao teste, a equipe con­ta com a coordenação técnica da Assessoria Agropecuária FF Velloso & Dimas Rocha. “Para que todos se beneficiem dos re­sultados do estudo, é preciso o comprometimento dos diferentes elos envolvidos”, ressalta a pre­sidente do Conselho Técnico da Angus, Susana Macedo Salvador.

Por ter mais facilidade de obter retorno de informações, a avaliação de 2015 focou em touros Puro de Origem (PO), que têm em sua genealogia pais com pelagem preta. A meta é avaliar seis touros por ano (cin­co com pelagem preta e um com pelagem vermelha). Todos remetidos à Progen. Inicialmen­te, cada animal teve 500 doses de sêmen coletadas para fins de Teste de Progênie. As do­ses foram utilizadas em reba­nhos pré-definidos, formados por matrizes registradas e par­ticipantes do Promebo. Outras duas mil doses de cada animal estão sendo comercializadas, especialmente para utilização em cruzamento industrial, com  acompanhamento da equipe da Alta Genetics.

Segundo o diretor da Progen, Fábio Barreto, a apresentação dos seis primeiros touros agradou bastante, gerando a expectativa de que, em maio do próximo ano, os primeiros resultados já estejam disponíveis. “É um trabalho muito importante para conseguirmos melhorar a genética da raça no Brasil. O desafio é termos os melhores animais com genética adaptada ao ambiente nacional”, explicou.

Os reprodutores foram selecionados dentre os cem integrantes do grupo de touros jovens superiores do Promebo. A seleção considerou os 50 exemplares com índice final acima de 20. Dos selecionados, cinco são exemplares pretos e um, vermelho. O destaque é a boa caracterização racial, aprumos corretos e avaliação genética superior.

Os seis touros pertencem à Estância Tradição, de Santa Vitória do Palmar (RS); Fazenda Rio da Paz, de Cascavel (PR); Cabanha Cantagalo, Santana do Livramento (RS); Cabanha Santo Antão, de Alegrete (RS); Cabanha São Xavier, de Tupanciretã (RS); e Tradição Azul, de Quaraí (RS).

“O Teste de Progênie vem ao encontro do compromisso da Alta junto à classe pecuarista, no sentido de selecionar e disponibilizar a melhor genética disponível nos programas das associações de raças, favorecendo a produtividade dos rebanhos e a lucratividade de seus negócios”, explica o gerente Distrital da Alta, Jorge Duarte.


Fonte: Publicado na Revista Pecuária em Alta (Edição Fev/Mar 2016) 

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais