Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 25/01/2022

Redes sociais

Agendade eventos

Últimasnotícias

TOP 100 - Em que pé anda o mercado de touros zebuínos no Brasil? (por William Koury Filho)

Informação, TOP 100 2016 | 21 de Julho de 2016

TOP 100 - Em que pé anda o mercado de touros zebuínos no Brasil?

Foto: Divulgação/Assessoria

Por William Koury Filho, Brasil com Z - Zootecnia Tropical 

Amigos do agronegócio, em junho, a agenda de trabalho de curral foi bruta. Trabalhamos forte nas avaliações de desmama dos clientes da BrasilcomZ, e tivemos a oportunidade de ver os resultados dos acasalamentos da estação de monta de 2014. Em outras empreitadas, realizamos o EPMURAS, a apartação de lotes e a definição de ordem de entrada no preparo que antecede a impressão dos catálogos para os leilões de reprodutores. Além disso, conta-se a minha participação in loco com os comentários técnicos durante os eventos, auxiliando clientes a adquirirem a mercadoria mais apropriada para alcançarem melhores resultados em seus respectivos rebanhos.

Bom, na coluna deste mês, o assunto é touro! Colaboramos com uma iniciativa inédita da consultoria FF Velloso & Dimas Rocha e da Revista AG, com total apoio do BeefPoint, para realizar um censo sobre os maiores vendedores de touros do Brasil – matéria completa sobre o desenvolvimento da ideia foi o tema da capa da edição do mês passado, quando foram publicados os 50 maiores vendedores de reprodutores taurinos. 

Pois é, essa colaboração veio ao encontro da vontade de nossa empresa em gerar mais informações sobre o importante mercado de touros, os maiores responsáveis pelas mudanças genéticas no rebanho nacional, já que cerca de 93% das matrizes emprenham de monta natural e 7%, de inseminação artificial.

Obviamente que a pesquisa realizada para o TOP 100 não é uma representação fiel de quem são os maiores vendedores de touros do País, já que a adesão é voluntária, e, embora tenhamos feito um grande esforço de comunicação, muitos selecionadores ficaram de fora nesse primeiro ano –acreditamos que nas edições seguintes do TOP 100, o número de participantes deverá aumentar devido à visibilidade que o projeto dará a esse importante segmento da pecuária brasileira. 

Os números de reprodutores comercializados levantados pela pesquisa de 7.552 taurinos e 34.549 zebuínos é suficiente para cobrir cerca de 1.262.730 matrizes. Para se ter uma ideia em números, no rebanho atual, temos cerca de 59 milhões de matrizes de corte, das quais cerca de 7% são inseminadas, gerando uma demanda anual de aproximadamente 350 mil touros. 

Outros resultados interessantes da pesquisa nos zebuínos: participaram 73 rebanhos, dos quais somente três venderam acima de 1.000 touros; trinta, mais de 200; e quarenta e quatro selecionadores, acima de 100 reprodutores.

A raça mais representativa foi o Nelore, com 73% da participação; depois, Nelore Mocho, com 18,8%; Guzerá, com 4,4%; seguidas de Brahman, 1,6%; Sindi, 1,3%; Tabapuã, 0,9%; e Gir Corte, 0,02%. Dessa forma, podemos concluir que a pesquisa pode evoluir muito e deverá ampliar de maneira significativa o número de animais no censo. Porém, mesmo com a evolução, deveremos constatar aquilo que empiricamente já sabemos, ou seja, que muitos produtores de gado de corte utilizam “cabeceira de boiada” para emprenhar suas matrizes com semente (machos) sem procedência e nenhuma garantia de resultados.

Com a profissionalização da atividade, a demanda por reprodutores melhorados (semente certificada), com informações de avaliações genéticas e morfológicas, deverá ampliar e muito! Vimos isso acontecer na agricultura e brevemente creio que poucos serão aqueles que continuarão a utilizar “semente do paiol” (cabeceira de boiada).

Para fechar a prosa, ao compararmos a pecuária brasileira com a capacidade da agricultura de precisão, que só usa semente certificada, com garantias de qualidade, cabe a reflexão pertinente quanto ao que ainda se pode evoluir na atividade, onde boa parte dos rebanhos insistem em usar “semente do paiol”, sem garantia alguma de uma boa colheita de bezerros. 

Como diz o velho ditado: colhemos aquilo que plantamos!

* Publicado na coluna "Brasil de A a Z", Revista AG (Julho/2016) 


Maisnotícias

  • Gente Brangus: Evanil Pires, da ST Repro

    Genética, Informação | 21 de Janeiro de 2022
    Está disponível o quarto episódio do “Gente Brangus”!

    O convidado deste episódio é o Evanil Pires, da ST Repro, que nos conta como iniciou o seu trabalho com a raça Brangus. Confira o depoimento dele.

    GENTE BRANGUS

    Trata-se de um espaço criado para que personalidades da raça, como criadores, técnicos, peões, r...
  • Fala Angus #78 - Edio Sander, Presidente CooperAliança

    Carne, Informação, Mercado | 21 de Janeiro de 2022
    Foto: Radio Sul.net
    Neste #FALAANGUS, o Sr. Edio Sander, presidente da CooperAliança, irá contar a história da cooperativa, que se destaca como exemplo de cooperativismo no país, seu número de associados, áreas de atuação, e como veio a ideia de ter uma indústria própria. Assim como, a parceria com a Angus e a importância para a ...
  • Sabor favorável: criadores de Red Angus adicionam potencial de marmoreio

    Informação | 21 de Janeiro de 2022
    Foto: Divulgação/Assessoria
    por Tom Brink, CEO, Red Angus Association of America 

    Os criadores de Red Angus continuam aumentando o potencial de marmoreio, o que demonstra o quanto estão atentos aos sinais emanados dos mercados de carne bovina e de gado. O marmoreio é uma característica economicamente relevante. As classificações das indústr...
  • Embrapa em Ação mostra potencial do Pampa para produzir alimentos de forma sustentável

    Genética, Informação | 20 de Janeiro de 2022
    Foto: Canal Rural
    O Giro do Boi de sexta, dia 14, levou ao ar o primeiro episódio da nova série especial Embrapa em Ação. Desta vez, as gravações ocorreram na sede da Embrapa Pecuária Sul, em Bagé, na Campanha gaúcha, no coração do Pampa.

    Conforme destacou o chefe geral da Embrapa Pecuária Sul, Fernando Cardoso, as riquezas nat...
  • ANC: Registro cresce 13% e confirma expansão da pecuária

    Genética, Informação | 20 de Janeiro de 2022
    Foto: Associação Nacional de Criadores
    Alinhados com a expansão e a valorização da pecuária na economia brasileira, os registros de animais de raça aumentaram 13% em 2021. O crescimento resulta do cadastro de 72.667 exemplares ao longo do ano passado frente aos 64.271 animais de 2020, ano que também apresentou alta. Os dados constam do banco da Associa...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais