Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Leilões: História, suas Dinâmicas, e Psicologias - Cap. 4 - Início dos leilões feiras na Argentina

Informação | 17 de Novembro de 2016

                                                                                                              Texto de: Celso Jaloto Avila Junior – 17/Nov/2016

Com as Associações Rurais organizadas, foi mais do que natural o fomento para que os produtores reunissem em uma FEIRA, os produtos da produção de um município ou mesmo região. Foi o que aconteceu a partir de 1890. Surgiu a figura do “feriero”, ou seja, o encarregado da organização de uma feira de bovinos, que ocorriam em uma propriedade particular ou municipal. Ali eram leiloados três categorias de animais: para abate (já gordos), para invernar (engordar) e para criar.

Estas feira surge impulsionada pela necessidade de dar apoio a pequenos e médios produtores do interior que desejavam comercializar seus produtos sem ter que deslocar grandes distâncias até aos maiores centros. Este incremento ganha força, pois o comercio de gado se democratiza e rapidamente surge em toda a Argentina mais de duzentas empresas envolvidas neste comércio de leilão em feiras distribuídas em todo território.

O PRIMEIRO REMATE FEIRA registrado se realizou no dia 17 de novembro de 1893, na localidade de JEPPENER (Província de Buenos Aires) e foi realizado pela firma leiloeira ALCHOURRON HERMANOS, que havia sido fundada no ano anterior por BAUTISTA ALCHOURRON BELHEUMEUR, nascido em 1862 em Chascomús (Província de Buenos Aires) e falecido em dezembro de 1938.

Para nós esse tipo de negociação é aparentemente simples, mas quando Alchourron propôs, em 1892, esse tipo de leilão foi algo inovador. Isso permitiu pulverizar o mercado de gado, descongestionar os mercados regionais, diminuir gastos com fretes e facilitar o crédito agropecuário que até então era limitado.

Com o êxito obtido pelo primeiro remate, em seguida foram surgindo os demais como no ano de 1895 em RUFINO (Província de Santa Fé), e no ano de 1897 em LABOULAYE (Província de Córdoba).

O SEGUNDO REMATE FEIRA registrado se realizou no dia 18 de março de 1894, na localidade de BAHIA BLANCA e foi realizado pela firma leiloeira de RAMÓN OLACIREGUI, nascido em 1867 e falecido em dezembro de 1949.

Empresas e leiloeiros foram surgindo. Algumas foram mudando de nome pela aquisição de outra pessoa, passando de pai para filho, ou mesmo com a fusão de uma terceira. Negociações tal como acontecem até hoje. E assim foi se desenvolvendo os remates. Alguns grandes de sete mil ou dez mil cabeças em um só leilão e se sucediam de cidades em cidades.

A movimentação era grande, tal como os periodistas nos relatam o cotidiano da época:
“......con la llegada de hombres de trabajo, domadores, reseros que a lo mejor enganchaban outro viaje de vuelta a pagos lejanos, para amansar los chúcaros, com la llegada de invernadores y estancieros de los alfalfares del norte y del oeste.”

Ilustrações:
• Fotografia de Remate bovino na Argentina – Junin 1914
• Fotografia de Remate antigo na Argentina
• Fotografia de Remate na década de 60 na Argentina

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais