Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Leilões: História, suas Dinâmicas, e Psicologias - Cap. 9 - Significado do martelo do leiloeiro

Informação | 17 de Novembro de 2016
Texto de: Celso Jaloto Avila Junior – 17/Nov/2016

Na antiguidade alguns sacerdotes, reis e autoridades empunham um CAJADO, quando presidiam os cultos ou reuniões públicas. Eles o utilizavam, batendo no chão, para chamar a atenção da assembleia ali reunida, quando alguém se pronunciava, ou para dar um veredicto final.

Com o tempo esse cajado foi substituído por um CETRO que continuou ser usado por autoridades para oficializar a função a qual ela ali estava empossada e representando uma assembleia ou mesmo uma nação. Aliás, na língua grega “cetro” tem o significado de “bastão curto”.

Já em período contemporâneo os juízes do direito passaram a usar um martelo de madeira para pedir ordem em uma sessão do tribunal ou mesmo para dar o veredicto de um julgamento. No Brasil ele nunca foi usado e foi substituído por uma campainha. Entretanto, o martelo do juiz teve sua origem em referência a mitologia escandinava, em uma referência a THOR, o deus dos trovões. E em sentido figurado o juiz, por meio do martelo, faz lembrar aos presentes sua autoridade máxima nas decisões finais.

Por analogia a tudo isso, nos leilões, o martelo representa o sinal de alerta, bem como o sinal do fechamento do negócio, quando percutido sobre uma base ou na própria mesa ou púlpito do leiloeiro. Portanto, ao ser “arrematado” um bem, quem oferecer o maior lance, a partir “da batida do martelo”, do leiloeiro, passa a ser o dono da mercadoria leiloada, que a partir daí estará por conta e risco do comprador.

Nos regulamentos dos leilões, sempre está escrito: “a venda considerará efetuada com a batida do martelo, momento em que as partes, compradores e vendedores, estarão obrigados ao cumprimento do negócio fechado”; e também: “o vendedor será responsável pelo pagamento da comissão de venda, a qual recai sobre o valor do lote no momento da batida do martelo”.

A ação do martelo do juiz não é o mesmo do leiloeiro. Apenas para ilustrar vamos lembrar a obra “Mercador de Veneza”, de William Shakespeare. Num processo judicial, onde está em causa a cobrança de uma dívida não paga. Um leiloeiro, nomeado pelo juiz, também usa um martelo para, em um pregão público, leiloar os bens penhorados do devedor inadimplente. Ao bater do martelo do leiloeiro, serve de sinal, também, para conhecerem o resultado final do processo. Observa-se claramente a diferença de finalidades entre os dois martelos. O do juiz e o do leiloeiro. Uma sentença jamais pode ser arrematada, como se pudesse ser posta em leilão, oferecida à melhor oferta de pagamento.

Ilustrações:
• Martelos de Leiloeiros.

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais