Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 15/11/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Leilões: História, suas Dinâmicas, e Psicologias - Cap. 11 - Psicologia dos leilões

Informação | 18 de Novembro de 2016

Psicologia dos Leilões

Foto: Divulgação/Assessoria

                                                                                                            Texto de: Celso Jaloto Avila Junior – 17/Nov/2016 (Capítulo Final)



Capítulo de muita importância e que merece ser analisado. Ao comprar em um leilão, normalmente existe um preço mínimo para cada item. Entretanto, em alguns lotes, o preço pago atinge valores que são questionados se realmente em uma comercialização normal aquele preço final teria sido conseguido.

Em um leilão, dependendo do leiloeiro, dos pisteiros, do público comprador, e da especificidade do produto leiloado é possível chegar a um valor final exorbitante. Se o objeto é único, como uma obra de arte, o preço final não tem limite. Em 2013, por exemplo, a pintura “Três Estudos de Lucian Freud”, de Francis Bacon, foi arrematada por US$ 142.405 milhões de dólares. Também em 2013, na Bélgica, um chinês arrematou um pombo-correio por US$ 400 mil dólares. Esse pombo recebeu o apelido de Bolt, em alusão ao atleta jamaicano Usain Bolt, pois a ave se destaca pela rapidez nos deslocamentos ao levar uma mensagem. E você? Se tivesse tanto dinheiro, pagaria toda essa fortuna por um lote leiloado?

O crítico de arte Jerry Saltz define: “Leilões são uma combinação bizarra de mercado de escravos, pregão, teatro e bordel. Eles são entretenimentos rarefeitos, onde a especulação, o transe e a caçada selvagem fundem-se a um reduto que encena um ritual altamente estruturado, no qual os códigos de consumo e de nobreza são manipulados a olhos vistos.”

No momento da compra, em um leilão importante, o “potencial comprador” pode estar interessado em tornar-se conhecido dentro do grupo de criadores de uma determinada raça. E neste momento, o leiloeiro sabe desse comportamento do comprador, e que ele pode estar influenciado por este grupo da qual deseja fazer parte.

O leiloeiro é a figura central da coreografia e a psicologia do leilão. Ele busca estabelecer o ritmo de venda. Nesse momento, a pressão psicológica aumenta conforme ele acelera as ofertas e motiva os compradores em torno de um lote. O comprador, por sua vez, em determinado momento tem poucos segundos para reavaliar a sua decisão para um novo lance. Neste momento está estabelecida uma verdadeira competição financeira entre o “ganha ou perde”.

É um equívoco supor que, em lotes de elite, o leilão irá produzir um “valor justo”. Em determinado momento o leiloeiro saberá colocar dois compradores interessados em uma disputa um contra o outro. Neste momento o ego conduzirá as negociações. Inconscientemente, neste momento, os compradores comportam-se de forma “irracional”, a vezes egoisticamente e deixam de agir de forma racional. Na verdade, eles não percebem que estão em um jogo e que a “vitória” nos impulsionam para a recompensa final.

Porém, pesquisas mostram que não é esse o motivo. Especialistas de economia, neurociência e “behavioural economics” (profissionais que estudam os efeitos de fatores psicológicos, sociais, cognitivos, e emocionais nas decisões econômicas de indivíduos e instituições e as consequências para preços de mercado), chegaram a conclusão que não é a sensação de vitória o estímulo, mas sim o “sentimento de perda”. Ou seja, a possibilidade de perder a oportunidade de compra que leva alguém a dar o último lance.

Muitos aconselham, escolha o seu lote e faça uma avaliação de quanto você está disposto a pagar. Anote o seu valor de mercado e o “seu valor máximo”. Acima disso é pura emoção. Você estará entrando em um “terreno minado” onde o martelo do leiloeiro é a batuta do maestro que irá conduzir a sua ópera para o ritmo que ele desejar.

“......eh!....eh!... parou!!! ........ (o martelo é percutido) ........Vendido para o Sr. Fulano de Tal”

Maisartigos

  • Aliança Braford faz R$ 8,3 mil para touros em Lavras do Sul

    Informação | 27 de Outubro de 2019
    Foto: Katega Vaz
    Dando continuidade aos remates oficializados pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), foi realizado no último sábado, dia 19 de outubro, no Sindicato Rural de Lavras do Sul (RS), mais uma edição do Remate Aliança Braford, promovido pelas Estâncias Cochilhas, Pontezuela, Três Marias e São Bento. ...
  • Touros: do Colonial ao Genômico

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Redigo, hoje, influenciado pela atmosfera da temporada de primavera do Rio Grande do Sul, pois já foi dada alargada e ainda estou envolvido com acertos, fretes e documentos de alguns touros adquiridos para clientes no leilão da GAP Genética. R...
  • Genética Nacional: Panorama dos touros Angus e Brangus nas centrais de inseminação

    Genética, Informação, Mercado | 16 de Setembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Angus, Nelore e Brangus dominam o mercado de inseminação de bovinos de corte no Brasil. Exagero? Vamos aos números. Conforme a ASBIA, em 2018, as raças de corte venderam, no Brasil, aproximadamente, 9,6 milhões de doses. Da raça Angus, 4,9 milhões de doses foram vendidas; seguida por Nelore, com 3,3 milhões; e Br...
  • Touro Dupla Marca é a geladeira com selo A

    Genética, Informação | 15 de Agosto de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Redigir e discutir critérios de escolha de touros é tema que se repete, mas é matéria sem fim e que se renova a cada temporada de leilões de reprodutores e aquisição de sêmen. A necessidade se apresenta a cada ano, e os fatores que participam da decisão vão se tornando mais complexos com a incorporação cresce...
  • A internet, os acessos e a revista impressa

    Genética, Informação | 13 de Julho de 2019
    Foto: Assessoria de Imprensa ABS
    Acredito que todo aquele que escreve uma coluna, um artigo ou uma crônica tenha muita curiosidade de saber se é lido, se é lido por muitos, se o tempo dedicado em reunir palavras e ideias gerou interesse e teve utilidade para quem o lê. Não é busca por aprovação ou aplausos, mas o interesse
    real em saber a opiniã...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais