Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 18/02/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Crime de abigeato: Prejuízos no campo, consequências na cidade

Informação, Mercado | 23 de Outubro de 2017

Crime de abigeato: Prejuízos no campo, consequências na cidade

Foto: Divulgação/Assessoria

Por: Fernando Tonet

No dia 25 de agosto do corrente ano, me reuni na 40° Expointer com o Deputado Estadual Sérgio Turra, o Deputado Federal Jerônimo Goergen, o Médico Veterinário representante do Simvet/RS João Júnior, a Médica Veterinária Gabriela Zancanaro, e representante da radiosul.net Leôncio Severo, para discutir o aumento dos números referentes ao crime de abigeato no estado do Rio Grande do Sul, e propor novas medidas de proteção ao produtor e ao consumidor.

Após nosso debate, na segunda-feira dia 28 de agosto, a casa da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, decidiu de forma favorável a novas medidas contra o crime de abigeato. Na quinta-feira dia 31 de agosto, o Governador do estado, sancionou Lei criando delegacias especializadas em crimes rurais.

O crime de abigeato, ou furto de animais, tem como vítima direta o produtor rural, suprimindo bens que garantem sua subsistência e de sua família, mas o produtor rural não é a única vítima do crime, visto que a prática comumente submete a carne a má conservação/cuidados durante e após o abate, o que coloca no mercado um produto de baixa qualidade e possivelmente nocivo à saúde do consumidor – isso sem contar com a crueldade com que os animais são abatidos, muitos sendo carneados ainda vivos.

Resultado do crime também é o encarecimento da carne de qualidade no mercado, visto que o abigeato diminui a quantidade de carne nas mãos do produtor idôneo o que acaba por tornar a criação de gado mais custosa.

O abigeato representa a perda de ativos para o produtor rural, o aumento do custo proporcional de produção, a perda da qualidade para o consumidor desatento, e o encarecimento da carne de qualidade para o consumidor atento à origem da carne que compra. Dados recentes demonstram que o abigeato é responsável por 20% dos abates clandestinos de animais, no Rio Grande do Sul, segundo a Secretaria de Agricultura.

É verdade que no Estado do Rio Grande do Sul existem diversas delegacias especializadas, porém não tínhamos delegacias especializadas em crimes rurais, o que caracteriza um flagrante descaso em relação ao assunto, visto que a agricultura do estado é das mais fortes e representativas do país.

Essa era uma das principais e mais antigas demandas do setor produtivo gaúcho, e o objetivo da delegacia especializada é intensificar o combate aos delitos na área rural, que comumente não são observados pelos olhos da lei. Segundo dados obtidos com base na Lei de Acesso a Informações Públicas, nos anos de 2015 e 2016, as 10 cidades em que esse tipo de crime mais ocorreu registraram 3.358 casos, mas apenas 198 inquéritos com indiciamento foram remetidos ao judiciário, ou seja, 5,9% do total.

No estado de Goiás, após a criação das delegacias especializadas houve uma redução de 60% no número de crimes de abigeato. Porém, não bastam apenas delegacias especializadas, a prática já demonstrou que sem a ajuda direta das Associações e Cooperativas, as ocorrências não cessam, assim, uma boa gestão participativa, entre Associações Rurais, Cooperativas Agrícolas, Polícia Civil e Brigada Militar, podem ser o próximo passo para diminuir ainda mais, e, quem sabe, erradicar os crimes rurais.

Fonte: Bertol Mosena Tonet Advogados Associados 

Maisartigos

  • Negocio Direto: fazendo em vez de esperar

    Informação, Mercado | 14 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A ação é melhor que a inércia. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé, e por aí vai. O propósito deste meu texto é compartilhar algumas informações sobre o Grupo de Produtores...
  • EAD pode causar prejuízos na formação do médico veterinário

    Informação | 09 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por João Carlos Gonzales, presidente da Academia Rio-Grandense de Medicina Veterinária

    A recente autorização governamental para que instituições com curso de medicina veterinária utilizem 40% do tempo na forma de ensino a distância (EAD), isto é, por correspondência e/ou internet, despertou a atenção para pos...
  • SC: Verdi realiza bonificação dos primeiros animais Hereford e Braford

    Informação | 06 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Frigorífico catarinense e ABHB fizeram abate certificado pelo programa Carne Pampa Aconteceu no dia 4 de fevereiro o primeiro abate experimental certificado pelo Programa Carne Pampa, da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) do Frigorífico Verdi, localizado no município de Pouso Redondo (SC). Foram reu...
  • ABS NEO: Produtor comemora taxa de prenhez acima de 55% com o uso de embriões

    Informação | 06 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Resultado foi registrado na Fazenda Maranata, no norte do Tocantins O ABS NEO vem se tornando um produto cada vez mais popular entre os produtores. Após decidir investir na solução genética da ABS, um produtor do norte do Tocantins obteve resultados impressionantes já na primeira aplicação - com 204 embriões tra...
  • Angus Austrália: ganhos com a seleção para docilidade

    Informação | 30 de Janeiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Uma das características em que os pecuaristas dão alto nível de importância ao tomar decisões de seleção, se não a característica mais importante, é o temperamento. Esta importância foi destacada em uma pesquisa recente com mais de 1.200 produtores de carne bovina na Austrália, que constatou que o temperamen...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais