Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 10/08/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

China sacode mercado global de carne bovina (por Carlos Cogo)

Informação | 26 de Novembro de 2017

Carlos Cogo

Foto: Divulgação/Assessoria

País asiático se tornou destino essencial para Brasil, Uruguai e Argentina

A China deverá importar 1 milhão de toneladas de carne bovina em 2018, 11% acima do volume comprado em 2017, acumulando um incremento nas aquisições externas de 145% em apenas cinco anos. Para abastecer o mercado interno, de 1,4 bilhão de pessoas, a China tem aumentado as importações de carne bovina. Para efeito de contabilização das exportações, o mercado considera que as vendas para Hong Kong têm, de fato, como destino a China. Hong Kong é um importante entreposto comercial entre Brasil e China.
Atualmente, a maior parte dessas importações da China e Hong Kong vem da América do Sul, principalmente do Brasil, maior exportador mundial, seguido do Uruguai. Os países sul-americanos continuarão a ser os principais fornecedores, já que o Brasil, o Uruguai e a Argentina mantêm forte crescimento dos volumes exportados.

A China, juntamente com Hong Kong, se destaca, atualmente, como o maior comprador de carne bovina in natura brasileira. No acumulado de 2017, das vendas externas totais do Brasil, 19% tiveram como destino Hong Kong e 18%, a China. No comparativo de 2017 com 2016, os embarques diretos para a China registraram alta expressiva de 35%, enquanto que, para Hong Kong, o aumento foi de 14%.

Entre 2011 e 2017, a produção de carne bovina da China cresceu 9%, para 7,1 milhões de toneladas, mas foi superada por um crescimento ainda mais forte do consumo, que subiu 24% para 7,9 milhões de toneladas durante o mesmo período. A produção da China é limitada por altos custos, infraestrutura inadequada da cadeia frigorífica, falta de investimentos, uma indústria fragmentada e produtores, na sua maioria, de pequeno porte, localizados no interior do país, desafiados a atender os centros de consumo primário no leste da China.

Incapaz de satisfazer plenamente a demanda com a produção doméstica, a China busca cada vez mais o mercado internacional. Os Estados Unidos eram o maior fornecedor de carne bovina para a China, respondendo por 66% do ainda pequeno mercado de US$ 15 milhões, quando perderam o acesso ao mesmo em 2003. Durante os 13 anos seguintes, os chineses consumiram cada vez mais carne vermelha e aves, devido a maiores níveis de renda individual e crescimento populacional.

Embora tradicionalmente o consumo de carne bovina seja o menor entre as carnes na China, cresceu mais rapidamente em comparação com a carne suína e de frango durante os últimos cinco anos, uma vez que o aumento dos preços da carne de frango e da carne suína (devido à menor produção) tornou a carne bovina relativamente mais acessível. O mercado de carne da China não é apenas o maior em várias ordens de grandeza, mas também se tornou muito mais competitivo.

Ao longo dos últimos cinco anos, a maioria dos principais exportadores de carne bovina aumentou a parcela de seu comércio total vendido para a China e trabalhará para manter esses ganhos. Além do Brasil, notadamente para o Uruguai e a Argentina, a China tornou-se um mercado essencial.

* Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas

Fonte: Publicado em Zero Hora, caderno Campo & Lavoura (24/11/17)

Maisartigos

  • Alta: Resgatando a pureza da raça Jersey, por Fábio N. Fogaça

    Genética | 10 de Agosto de 2020
    Foto: Alta Genetics
    Após alguns registros de problemas ocorridos com animais da raça Jersey em relação a genealogia, na qual foram encontradas gado bovino de outras raças como ancestrais desses animais, a Associação Americana de Jersey (AJCA) resolveu tomar medidas que visam recuperar a confiança no registro e na pureza desta catego...
  • USP: Evolução da IA em bovinos de corte e leite no Brasil (Edição 4 - 15/07/20)

    Informação | 16 de Julho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    (O emprego da IA cresceu 270% de 2002 a 2019; Os produtores utilizam a IA com maior intensidade em rebanhos de corte)

    Boletim Eletrônico do Departamento de Reprodução Animal/FMVZ/USP - Edição 4, de 15 de julho de 2020  Editorial 

    Segundo estudos realizados pelo Departamento de Reprodução Animal da Faculdade de Medi...
  • Comprei um touro no Mercado Livre

    Informação, Mercado | 15 de Julho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    "Há males que vêm para piorar tudo”, dizia um amigo pessimista. Acho graça no ditado adaptado, mas não o acompanho no raciocínio. A crise que estamos vivendo da Covid-19 está trazendo grandes avanços digitais em muitas áreas. Fala-se is...
  • Inovação argentina melhora a precisão das DEPs Genômicas

    Informação | 10 de Julho de 2020
    Foto: Valor Carne (www.valocarne.com.ar)
    Una metodología desarrollada por la FAUBA facilita la predicción de caracteres de interés económico, en especial de aquéllos difíciles y costosos de medir, utilizando relaciones de parentesco más refinadas. El cálculo no solo involucra a los padres, como los métodos de otros países, sino a los abuelos. El nuevo...
  • Seleção genômica em Hereford e Braford

    Genética, Informação | 01 de Julho de 2020
    Foto: Associação Brasileira de Hereford e Braford
    Por Marcos Jun-Iti Yokoo Até pouco tempo, nos programas de avaliação genética e seleção de bovinos de corte, a seleção assistida por marcadores moleculares utilizando-se de poucos marcadores do tipo microssatélites, salvo algumas exceções, não foi muito eficiente, uma vez que, geralmente, as características...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais