Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 27/10/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

China sacode mercado global de carne bovina (por Carlos Cogo)

Informação | 26 de Novembro de 2017

Carlos Cogo

Foto: Divulgação/Assessoria

País asiático se tornou destino essencial para Brasil, Uruguai e Argentina

A China deverá importar 1 milhão de toneladas de carne bovina em 2018, 11% acima do volume comprado em 2017, acumulando um incremento nas aquisições externas de 145% em apenas cinco anos. Para abastecer o mercado interno, de 1,4 bilhão de pessoas, a China tem aumentado as importações de carne bovina. Para efeito de contabilização das exportações, o mercado considera que as vendas para Hong Kong têm, de fato, como destino a China. Hong Kong é um importante entreposto comercial entre Brasil e China.
Atualmente, a maior parte dessas importações da China e Hong Kong vem da América do Sul, principalmente do Brasil, maior exportador mundial, seguido do Uruguai. Os países sul-americanos continuarão a ser os principais fornecedores, já que o Brasil, o Uruguai e a Argentina mantêm forte crescimento dos volumes exportados.

A China, juntamente com Hong Kong, se destaca, atualmente, como o maior comprador de carne bovina in natura brasileira. No acumulado de 2017, das vendas externas totais do Brasil, 19% tiveram como destino Hong Kong e 18%, a China. No comparativo de 2017 com 2016, os embarques diretos para a China registraram alta expressiva de 35%, enquanto que, para Hong Kong, o aumento foi de 14%.

Entre 2011 e 2017, a produção de carne bovina da China cresceu 9%, para 7,1 milhões de toneladas, mas foi superada por um crescimento ainda mais forte do consumo, que subiu 24% para 7,9 milhões de toneladas durante o mesmo período. A produção da China é limitada por altos custos, infraestrutura inadequada da cadeia frigorífica, falta de investimentos, uma indústria fragmentada e produtores, na sua maioria, de pequeno porte, localizados no interior do país, desafiados a atender os centros de consumo primário no leste da China.

Incapaz de satisfazer plenamente a demanda com a produção doméstica, a China busca cada vez mais o mercado internacional. Os Estados Unidos eram o maior fornecedor de carne bovina para a China, respondendo por 66% do ainda pequeno mercado de US$ 15 milhões, quando perderam o acesso ao mesmo em 2003. Durante os 13 anos seguintes, os chineses consumiram cada vez mais carne vermelha e aves, devido a maiores níveis de renda individual e crescimento populacional.

Embora tradicionalmente o consumo de carne bovina seja o menor entre as carnes na China, cresceu mais rapidamente em comparação com a carne suína e de frango durante os últimos cinco anos, uma vez que o aumento dos preços da carne de frango e da carne suína (devido à menor produção) tornou a carne bovina relativamente mais acessível. O mercado de carne da China não é apenas o maior em várias ordens de grandeza, mas também se tornou muito mais competitivo.

Ao longo dos últimos cinco anos, a maioria dos principais exportadores de carne bovina aumentou a parcela de seu comércio total vendido para a China e trabalhará para manter esses ganhos. Além do Brasil, notadamente para o Uruguai e a Argentina, a China tornou-se um mercado essencial.

* Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas

Fonte: Publicado em Zero Hora, caderno Campo & Lavoura (24/11/17)

Maisartigos

  • Pecuária do Sul: vamos azebuar tudo !!!

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha (É o paradoxo estendido na areia, do Pampa) Nesta busca mensal de temas atuais para este espaço na Revista AG, venho sempre trocando ideias com a editora da Revista AG, Thaise Teixeira. Trocamos mensagens sobre as pautas principais da ediç...
  • Angus Recalada: tecnologia, genética e touros para a pecuária moderna

    Informação | 05 de Outubro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Saudações.

    Nesta mesma época em 2019, trouxemos neste catálogo um pouco dos fundamentos técnicos considerados pelo programa de seleção da Cabanha Recalada para: Crescimento e Carcaça. Reprodução e Maternal, e Adaptação e Função. Os quesitos indicados para realizarmos seleção efetiva nestas áreas seguem v...
  • Montana vende touros por R$ 12,5 mil no leilão De Olho Na Fazenda

    Informação | 05 de Outubro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Semana de leilões teve destaque para novilhas super precoces, com lance médio de R$ 7,3 mil

    O Programa Montana comercializou 45 touros e 17 novilhas durante o programa De Olho na Fazenda, realizado entre 14 e 17 de setembro. O lance médio para os machos chegou a R$ 12.500,00, enquanto para as fêmeas foi de R$ 7.300,00...
  • Lote 6 - Recalada 139 Combate

    Informação | 01 de Outubro de 2020
    Destaque - Angus Recalada 2020
    07/10 - Pelotas - Lance Rural

    Lote 6 - Recalada 139 Combate
     (SAV Resource x SAV Bismark)
    Homozigoto Preto 
    Dupla Marca
    Touro Jovem Promebo 2019 (TJ) 
    Suporte Técnico:
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha Velloso      - 051 9 9835 8100
    José Pedro - 051 9 8244 2631

    Consulte cat...
  • Leilão Charolês 50 anos faz R$ 13,2 mil nos touros

    Informação | 29 de Setembro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Realizado neste sábado (26/09) o Leilão Charolês 50 Anos alcançou muito bons resultados em sua edição virtual. Os touros foram comercializados por R$ 13,2 mil e as terneiras por R$ 5,8 mil. Também foram ofertados 40 embriões com valor médio de R$ 2,3 mil.
    Entre os destaques da venda estão: Jotabe Otto 6071 ...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais