Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Pacote tecnológico completo: e o fluxo de caixa?

Genética, Informação | 16 de Dezembro de 2017
Por Fernando Furtado Velloso
Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

A intensificação na pecuária de corte brasileira é uma necessidade e uma realidade. Em algumas regiões, está bem avançada; em outras, iniciando; em outras, segue a resistência ou a dificuldade de realizá-la. Em muitas situações, a agricultura (especialmente a soja) puxou a pecuária para níveis mais intensivos de produção, trazendo novo gás na alimentação animal e no fluxo de caixa das propriedades.

Não tenho dúvidas que praticamente todas as tecnologias e insumos relacionados trazem incrementos em produtividade e no potencial faturamento dos produtores, mas equacionar investimentos, ganhos produtivos e resultados financeiros? É uma boa pergunta que não sei a resposta exata, mas que considero importantíssimo que os pecuaristas se façam a cada novo investimento, a cada nova tecnologia adotada.

Na atuação como prestador de serviços em tantas propriedades, me deparo com essas discussões em muitas visitas e reuniões. O que fazer? O que não fazer? Que produto ou tecnologia investir? Como técnico, assessor e consultor, percebo o nível de responsabilidade dessas orientações, pois sei que impactam diretamente no fluxo de caixa das fazendas e no resultado financeiro ao final do ano. Logo, me empenho em explicar a função e o impacto produtivo que a adoção de uma nova tecnologia ou produto pode trazer, mas insisto em que o pecuarista perceba que a decisão tem implicações financeiras, que somente o gestor pode definir se o momento é apropriado ou não.

Desde as contas mais básicas de um pecuarista até as relacionadas à adoção da tecnologia “A” ou “B” é importante a avaliação muito criteriosa das necessidades da fazenda. Entender quais estão alinhadas com os objetivos definidos e ao potencial de investimento da propriedade naquele momento. O quadro que segue lista alguns dos tantos desembolsos e investimentos que o pecuarista faz ou considera fazer. O ideal seria fazer todos? Sim, mas a definição de qual fazer primeiro e quando exige muita conversa, discussão com os envolvidos e planejamento.

Relação custo-benefício
Toda nova técnica ou produto oferece algum nível de elevação de produtividade: mais ganho de peso, mais carga animal, maior taxa de prenhez, menos morbidade, menos mortalidade... Na maioria das vezes, essa lógica está correta, mas é demasiado simplista a propaganda que é quase um mantra: uma vaca perdida paga toda essa conta ou um terneiro desmamado paga toda essa conta. O aumento de carga nessa área justifica a adubação e a fenação.

Como em tantas outras situações na administração de um negócio e na tomada de decisões de investimentos, é necessária a clara avaliação da situação da propriedade, dos indicadores que mais devem ser melhorados, das carências mais urgentes, dos investimentos que geram resultados no curto prazo, dos investimentos que são necessários e não trarão resultados diretos em faturamento no curto prazo. Quais tecnologias justificam buscar linhas de crédito e financiamentos?

Enfim, existem muitas alternativas para intensificação das propriedades e para o incremento da produtividade dos rebanhos. Tecnologias, produtos e serviços a serem buscados estão à nossa disposição. Temos um pacote tecnológico completo ao alcance, mas e o fluxo de caixa? Lembra-se do programa de televisão? Você decide!

Fonte: Publicado na coluna Do Pasto ao Prato, Revista AG (Dezembro, 2017)

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais