Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 06/12/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Pacote tecnológico completo: e o fluxo de caixa?

Genética, Informação | 16 de Dezembro de 2017
Por Fernando Furtado Velloso
Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

A intensificação na pecuária de corte brasileira é uma necessidade e uma realidade. Em algumas regiões, está bem avançada; em outras, iniciando; em outras, segue a resistência ou a dificuldade de realizá-la. Em muitas situações, a agricultura (especialmente a soja) puxou a pecuária para níveis mais intensivos de produção, trazendo novo gás na alimentação animal e no fluxo de caixa das propriedades.

Não tenho dúvidas que praticamente todas as tecnologias e insumos relacionados trazem incrementos em produtividade e no potencial faturamento dos produtores, mas equacionar investimentos, ganhos produtivos e resultados financeiros? É uma boa pergunta que não sei a resposta exata, mas que considero importantíssimo que os pecuaristas se façam a cada novo investimento, a cada nova tecnologia adotada.

Na atuação como prestador de serviços em tantas propriedades, me deparo com essas discussões em muitas visitas e reuniões. O que fazer? O que não fazer? Que produto ou tecnologia investir? Como técnico, assessor e consultor, percebo o nível de responsabilidade dessas orientações, pois sei que impactam diretamente no fluxo de caixa das fazendas e no resultado financeiro ao final do ano. Logo, me empenho em explicar a função e o impacto produtivo que a adoção de uma nova tecnologia ou produto pode trazer, mas insisto em que o pecuarista perceba que a decisão tem implicações financeiras, que somente o gestor pode definir se o momento é apropriado ou não.

Desde as contas mais básicas de um pecuarista até as relacionadas à adoção da tecnologia “A” ou “B” é importante a avaliação muito criteriosa das necessidades da fazenda. Entender quais estão alinhadas com os objetivos definidos e ao potencial de investimento da propriedade naquele momento. O quadro que segue lista alguns dos tantos desembolsos e investimentos que o pecuarista faz ou considera fazer. O ideal seria fazer todos? Sim, mas a definição de qual fazer primeiro e quando exige muita conversa, discussão com os envolvidos e planejamento.

Relação custo-benefício
Toda nova técnica ou produto oferece algum nível de elevação de produtividade: mais ganho de peso, mais carga animal, maior taxa de prenhez, menos morbidade, menos mortalidade... Na maioria das vezes, essa lógica está correta, mas é demasiado simplista a propaganda que é quase um mantra: uma vaca perdida paga toda essa conta ou um terneiro desmamado paga toda essa conta. O aumento de carga nessa área justifica a adubação e a fenação.

Como em tantas outras situações na administração de um negócio e na tomada de decisões de investimentos, é necessária a clara avaliação da situação da propriedade, dos indicadores que mais devem ser melhorados, das carências mais urgentes, dos investimentos que geram resultados no curto prazo, dos investimentos que são necessários e não trarão resultados diretos em faturamento no curto prazo. Quais tecnologias justificam buscar linhas de crédito e financiamentos?

Enfim, existem muitas alternativas para intensificação das propriedades e para o incremento da produtividade dos rebanhos. Tecnologias, produtos e serviços a serem buscados estão à nossa disposição. Temos um pacote tecnológico completo ao alcance, mas e o fluxo de caixa? Lembra-se do programa de televisão? Você decide!

Fonte: Publicado na coluna Do Pasto ao Prato, Revista AG (Dezembro, 2017)

Maisartigos

  • Anguistas e branguistas: é passada a hora do marmoreio

    Genética, Informação | 18 de Novembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A essa altura do campeonato da carne de qualidade no Brasil, zero novidade falar em marmoreio. Mas, para os selecionadores, especialmente das raças Angus e Brangus, é o momento de olhar e agir com mais atenção para animais superiores genetica...
  • Aliança Braford faz R$ 8,3 mil para touros em Lavras do Sul

    Informação | 27 de Outubro de 2019
    Foto: Katega Vaz
    Dando continuidade aos remates oficializados pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), foi realizado no último sábado, dia 19 de outubro, no Sindicato Rural de Lavras do Sul (RS), mais uma edição do Remate Aliança Braford, promovido pelas Estâncias Cochilhas, Pontezuela, Três Marias e São Bento. ...
  • Touros: do Colonial ao Genômico

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Redigo, hoje, influenciado pela atmosfera da temporada de primavera do Rio Grande do Sul, pois já foi dada alargada e ainda estou envolvido com acertos, fretes e documentos de alguns touros adquiridos para clientes no leilão da GAP Genética. R...
  • Genética Nacional: Panorama dos touros Angus e Brangus nas centrais de inseminação

    Genética, Informação, Mercado | 16 de Setembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Angus, Nelore e Brangus dominam o mercado de inseminação de bovinos de corte no Brasil. Exagero? Vamos aos números. Conforme a ASBIA, em 2018, as raças de corte venderam, no Brasil, aproximadamente, 9,6 milhões de doses. Da raça Angus, 4,9 milhões de doses foram vendidas; seguida por Nelore, com 3,3 milhões; e Br...
  • Touro Dupla Marca é a geladeira com selo A

    Genética, Informação | 15 de Agosto de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Redigir e discutir critérios de escolha de touros é tema que se repete, mas é matéria sem fim e que se renova a cada temporada de leilões de reprodutores e aquisição de sêmen. A necessidade se apresenta a cada ano, e os fatores que participam da decisão vão se tornando mais complexos com a incorporação cresce...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais