Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 26/06/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Os desafios no desenvolvimento de produtos derivados de carne

Carne | 02 de Janeiro de 2018

Carne e derivados

Foto: Divulgação/Assessoria

Produtos cárneos diferenciados possuem altos valores agregados e, portanto, mais caros para aquisição.

No mundo atual, o ato de se alimentar vai muito além do ato de comer para nutrir o corpo. Hoje, comer se relaciona e reflete os padrões culturais e políticos da população. Neste contexto, soa normal e recorrente elegermos os nossos vilões favoritos. A carne é uma destas ditas “vilãs”. Principalmente, em um cenário onde o crescimento do mercado de produtos para públicos específicos, como o caso dos veganos, anda a pleno vapor. Porém, os dados estatísticos apontam que o consumo de carne bovina, suína ou de frango continua constante, em qualquer lugar do planeta.

A carne pode ser a vilã perfeita, já que a sua produção toca em temas muito sensíveis em debate corrente. Bem-estar animal, impactos ambientais e qualidade nutricional estão entre os principais pontos de questionamento sobre o consumo e a produção de carne e seus derivados. A desinformação é um deles. Francamente, este título é injusto. Isto porque não há achados científicos definitivos e que comprovem de forma unânime e decisiva que a carne in natura traga mal à nossa saúde, que seja a completo culpado pelos gases de efeito estufa e outros impactos ambientais devastadores. Pelo contrário. A carne in natura é um alimento completo, nutritivo e com alto poder de saciedade. Vale aqui destacar que existem carnes e carnes. Produções e produções. Que sua qualidade, impacto ambiental e nível de bem estar animal varia de acordo com o sistema produtivo animal e com os processos envolvidos para a sua obtenção e posterior processamento. Um fato é verídico, todos os alimentos para serem produzidos impactam de certa forma no meio ambiente. Com a carne não poderia ser diferente.

Uma das formas do consumo de carne é por meio de produtos derivados. A elaboração de derivados cárneos é uma atividade muito antiga, inicialmente destinada somente à conservação de carnes e que evoluiu até os dias atuais com as preocupações e demanda dos consumidores, qualificando processos, agregando valor e, em última análise, tornando-se mais saudáveis. Sim, mais saudáveis. Menor teor de sódio, conservantes naturais, adição de fibras, substituição de gorduras e, até mesmo, derivados cárneos probióticos são as tendências de pesquisa e desenvolvimento neste segmento. Produtos cárneos diferenciados possuem altos valores agregados e, portanto, mais caros para aquisição. Um bom produto cárneo não é barato. Como comentado anteriormente, há produtos e produtos. Desde os mais artesanais aos mais processados.

Contudo, o processo de desenvolvimento de um produto cárneo mais saudável inicia no campo. Durante a criação do animal que dará origem àquela carne, que por sua vez determinará a qualidade nutricional deste produto. Sim, a carne é um alimento saudável, especialmente se esta carne veio de animais criados e terminados em sistemas pastoris. Determinados cortes cárneos constam de 3% de gordura ou menos, como é o exemplo do contrafilé bovino sem a capa de gordura. Além disto, este tipo de criação proporciona a formação de ácidos graxos (gorduras) mais saudáveis. Mais ômega 3! Tudo isso com a produção animal em condições de criação livre e bem estar animal garantido. Se nestes sistemas o campo for bem manejado, auxilia inclusive no equilíbrio dos gases de efeito estufa, na manutenção de espécies nativas de plantas e animais.

Resumindo, não consumir carne é apenas filosófico. Devemos promover o consumo consciente dos alimentos. Inclusive da carne e derivados. Por isto, procure se informar melhor sobre como os alimentos são produzidos (inclusive lá no campo) e escolha aqueles que melhor cabem no bolso e no seu estilo de vida. Busque informação de qualidade e entenda como os alimentos são processados e a real função dos ingredientes e dos aditivos utilizados na elaboração destes.

Assim, um dos maiores desafios na produção de carne e derivados é demonstrar claramente a distinção entre as matérias-primas cárneas, o que são e por que são usados ingredientes e aditivos nas formulações dos derivados. Desta forma, explicando como pode ocorrer a diferença de qualidade entre os diversos produtos cárneos disponíveis no mercado, desmitificando conceitos importantes para quem se destina todo o trabalho da cadeia produtiva: os consumidores.

Fonte: SEBRAE  Por: Elen Nalerio

Maisartigos

  • Austrália: quais touros Angus são os mais influentes da raça?

    Informação | 25 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Em associação com as comemorações do centenário da Angus Austrália, o Dr. Sam Clark, Professor Sênior de Genética Animal na Universidade da New England, pesquisou os touros mais influentes da raça Angus desde 1990. Veja as informações nos vídeos publicados o site da Angus Austrália. Clique aqui. 

    A publica...
  • Pablo Bove Itzaina: “O show é caro para a Brangus aqui no Uruguai”

    Exposição, Informação | 16 de Junho de 2019
    Foto: El País
    Por Pablo Mestre/El Pais Rurales (15/06/19) 

    A los 31 años fue el jurado más joven de la Expo Nacional Brangus en Argentina que reunió a 450 reproductores de 70 cabañas. Aseguró que se enfrentó al mejor Brangus de la región y se mostró emocionado por la distinción de los criadores del vecino país. El director d...
  • O nome do terneiro gaúcho é R$ 6,50

    Informação | 14 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Na data que redijo este texto (23/05), está praticamente encerrada a temporada de outono das feiras de terneiros no Rio Grande do Sul. Restam ainda alguns leilões neste final de maio e início de junho, mas estamos quase no fim. Quando os a...
  • Brangus: ABB e Ufrgs assinam convênio de cooperação técnica

    Informação | 10 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Acordo prevê atividades de pesquisa na área de tecnologia de imagens e transferência de material genético e equipamentos Um convênio de Cooperação Técnica entre a Associação Brasileira de Brangus (ABB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi assinado nesta segunda-feira, 10 de junho, em Porto Alegre ...
  • Santa Maria sediou a III Exposição Nacional de Rústicos Brangus

    Exposição, Informação | 07 de Junho de 2019
    Foto: Bezier Filmes
    A III Exposição Nacional de Rústicos Brangus, promovida pelo Núcleo Brangus Sul, ocorreu nos dias 15 a 17 de maio no Parque de Exposições da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e integrou a programação da 28ª edição da Encorte. O julgamento, realizado no dia 17, contou com a participação de dez criat...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais