Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 26/06/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Liderança na exportação reduz consumo interno de carne bovina (Carlos Cogo)

Informação | 17 de Fevereiro de 2018

Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas

Foto: Divulgação/Assessoria

Quanto mais o Brasil vende a outros países, menor é a oferta para o mercado doméstico, limitando o consumo per capita 

A liderança brasileira nas exportações globais de carne bovina será novamente, em 2018, um fator limitante para o consumo doméstico. Quanto mais exportamos, menor é a oferta para o mercado interno, limitando o consumo per capita. No longo prazo, o cenário é promissor para a expansão da produção brasileira de carne bovina. A produção brasileira no setor cresceu 1,8% em 2017 e deve crescer 2,6% em 2018. Nossas exportações de carne bovina cresceram 9,5% em 2017 em relação ao ano anterior, com receita cambial de US$ 6,28 bilhões, 14% maior do que a obtida em 2016. O principal responsável pela recuperação das vendas ao exterior foi a China, que continua com grande apetite pela carne brasileira. 

Para 2018, a projeção é de continuidade do crescimento de embarques, com previsão de expansão de 10%, diante da possibilidade de os Estados Unidos voltarem a adquirir carne bovina in natura. Em maio deste ano, durante a reunião anual da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Paris, a entidade deverá anunciar o Brasil como país livre da febre aftosa com vacinação. A certificação oficial pela OIE de que todo o território nacional é livre da doença com vacinação deve contribuir para ampliar e abrir novos mercados à carne do Brasil. Já completamos 11 anos sem registro de ocorrência de aftosa no país. Em termos gerais, o cenário deve ser economicamente favorável neste ano, tanto na esfera internacional quanto na nacional, beneficiando toda a cadeia. 

No mercado global, estimativas apontam bom crescimento da economia em muitos países, o que deve ampliar e até mesmo abrir novas possibilidades comerciais para o Brasil. No mercado doméstico, esperam-se recuperação da economia e retomada do crescimento, com taxas de juros menores, inflação sob controle, redução do desemprego e melhoria do PIB (Produto Interno Bruto), favorecendo o aumento no consumo geral da população e, por sua vez, da demanda por carnes. Entretanto, com o avanço esperado nas exportações brasileiras de carne bovina em 2018, a oferta aparente para o mercado doméstico deve ter incremento de apenas 0,8%. 

Com isso, o consumo per capita de carne em 2018 no Brasil está projetado em 36,9 quilos, apenas 0,1% acima do estimado para 2017, que foi de 36,8 quilos por habitante, acumulando um recuo de 20% desde o recorde de 2006, que foi de 46 quilos por habitante. Neste mesmo período, entre 2006 e 2017, o consumo per capita de carne de frango cresceu 18,6%, para 42,1 quilos por habitante.

Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas
carloscogo.com.br

 
Fonte: GauchaZH, 17/02/18

Maisartigos

  • Austrália: quais touros Angus são os mais influentes da raça?

    Informação | 25 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Em associação com as comemorações do centenário da Angus Austrália, o Dr. Sam Clark, Professor Sênior de Genética Animal na Universidade da New England, pesquisou os touros mais influentes da raça Angus desde 1990. Veja as informações nos vídeos publicados o site da Angus Austrália. Clique aqui. 

    A publica...
  • Pablo Bove Itzaina: “O show é caro para a Brangus aqui no Uruguai”

    Exposição, Informação | 16 de Junho de 2019
    Foto: El País
    Por Pablo Mestre/El Pais Rurales (15/06/19) 

    A los 31 años fue el jurado más joven de la Expo Nacional Brangus en Argentina que reunió a 450 reproductores de 70 cabañas. Aseguró que se enfrentó al mejor Brangus de la región y se mostró emocionado por la distinción de los criadores del vecino país. El director d...
  • O nome do terneiro gaúcho é R$ 6,50

    Informação | 14 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Na data que redijo este texto (23/05), está praticamente encerrada a temporada de outono das feiras de terneiros no Rio Grande do Sul. Restam ainda alguns leilões neste final de maio e início de junho, mas estamos quase no fim. Quando os a...
  • Brangus: ABB e Ufrgs assinam convênio de cooperação técnica

    Informação | 10 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Acordo prevê atividades de pesquisa na área de tecnologia de imagens e transferência de material genético e equipamentos Um convênio de Cooperação Técnica entre a Associação Brasileira de Brangus (ABB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi assinado nesta segunda-feira, 10 de junho, em Porto Alegre ...
  • Santa Maria sediou a III Exposição Nacional de Rústicos Brangus

    Exposição, Informação | 07 de Junho de 2019
    Foto: Bezier Filmes
    A III Exposição Nacional de Rústicos Brangus, promovida pelo Núcleo Brangus Sul, ocorreu nos dias 15 a 17 de maio no Parque de Exposições da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e integrou a programação da 28ª edição da Encorte. O julgamento, realizado no dia 17, contou com a participação de dez criat...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais