Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 03/07/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Liderança na exportação reduz consumo interno de carne bovina (Carlos Cogo)

Informação | 17 de Fevereiro de 2018

Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas

Foto: Divulgação/Assessoria

Quanto mais o Brasil vende a outros países, menor é a oferta para o mercado doméstico, limitando o consumo per capita 

A liderança brasileira nas exportações globais de carne bovina será novamente, em 2018, um fator limitante para o consumo doméstico. Quanto mais exportamos, menor é a oferta para o mercado interno, limitando o consumo per capita. No longo prazo, o cenário é promissor para a expansão da produção brasileira de carne bovina. A produção brasileira no setor cresceu 1,8% em 2017 e deve crescer 2,6% em 2018. Nossas exportações de carne bovina cresceram 9,5% em 2017 em relação ao ano anterior, com receita cambial de US$ 6,28 bilhões, 14% maior do que a obtida em 2016. O principal responsável pela recuperação das vendas ao exterior foi a China, que continua com grande apetite pela carne brasileira. 

Para 2018, a projeção é de continuidade do crescimento de embarques, com previsão de expansão de 10%, diante da possibilidade de os Estados Unidos voltarem a adquirir carne bovina in natura. Em maio deste ano, durante a reunião anual da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), em Paris, a entidade deverá anunciar o Brasil como país livre da febre aftosa com vacinação. A certificação oficial pela OIE de que todo o território nacional é livre da doença com vacinação deve contribuir para ampliar e abrir novos mercados à carne do Brasil. Já completamos 11 anos sem registro de ocorrência de aftosa no país. Em termos gerais, o cenário deve ser economicamente favorável neste ano, tanto na esfera internacional quanto na nacional, beneficiando toda a cadeia. 

No mercado global, estimativas apontam bom crescimento da economia em muitos países, o que deve ampliar e até mesmo abrir novas possibilidades comerciais para o Brasil. No mercado doméstico, esperam-se recuperação da economia e retomada do crescimento, com taxas de juros menores, inflação sob controle, redução do desemprego e melhoria do PIB (Produto Interno Bruto), favorecendo o aumento no consumo geral da população e, por sua vez, da demanda por carnes. Entretanto, com o avanço esperado nas exportações brasileiras de carne bovina em 2018, a oferta aparente para o mercado doméstico deve ter incremento de apenas 0,8%. 

Com isso, o consumo per capita de carne em 2018 no Brasil está projetado em 36,9 quilos, apenas 0,1% acima do estimado para 2017, que foi de 36,8 quilos por habitante, acumulando um recuo de 20% desde o recorde de 2006, que foi de 46 quilos por habitante. Neste mesmo período, entre 2006 e 2017, o consumo per capita de carne de frango cresceu 18,6%, para 42,1 quilos por habitante.

Carlos Cogo é consultor em agronegócio, especializado em análises, tendências e estatísticas dos mercados agrícolas
carloscogo.com.br

 
Fonte: GauchaZH, 17/02/18

Maisartigos

  • Seleção genômica em Hereford e Braford

    Genética, Informação | 01 de Julho de 2020
    Foto: Associação Brasileira de Hereford e Braford
    Por Marcos Jun-Iti Yokoo Até pouco tempo, nos programas de avaliação genética e seleção de bovinos de corte, a seleção assistida por marcadores moleculares utilizando-se de poucos marcadores do tipo microssatélites, salvo algumas exceções, não foi muito eficiente, uma vez que, geralmente, as características...
  • Tecnologia à frente: Inseminação Artificial avança no primeiro trimestre

    Informação, Mercado | 18 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha A ASBIA (Associação Brasileira de Inseminação Artificial), entidade que participo da atual gestão, divulgou publicamente, no início de maio, o relatório INDEX ASBIA 1º Trimestre/2020. Os dados são recebidos de todas centrais afiliadas ...
  • RS - Rumo a um novo status sanitário

    Informação | 04 de Junho de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Livre de Aftosa sem Vacinação
    Por Júlio Barcellos; Tamara E. de Oliveira; Anna I. C. Pereira Suñé


    O contexto: O Estado do Rio Grande do Sul, por meio de seu serviço veterinário oficial e a ação dos pecuaristas, durante os meses de março e abril, realizou a sua última campanha de vacinação previamente à apresen...
  • COVID: o empurrão que faltava aos leilões virtuais e certificados

    Informação, Leilões, Mercado | 15 de Maio de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha As vantagens dos leilões virtuais em relações aos leilões presenciais são inúmeras: não necessidade de transporte do gado para um recinto, venda com o peso da fazenda (sem quebras de transporte e manejo), menor stress para os animais (be...
  • Hereford e Braford: Prova de Avaliação a Campo auxilia na seleção de criadores

    Informação | 26 de Abril de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Realizada anualmente pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), em parceria com a Embrapa Pecuária Sul, de Bagé (RS), a Prova de Avaliação a Campo (PAC) vem trazendo resultados promissores para os criadores das duas raças. Com a finalidade de identificar animais superiores em termos de genética para...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais