Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 19/11/2018

Redes sociais

Agendade eventos

Últimasnotícias

EMBRAPA: A genômica na rotina dos pecuaristas

Genética, Informação | 10 de Setembro de 2018

EMBRAPA: A genômica na rotina dos pecuaristas

Foto: Embrapa

Técnicas são aplicadas de acordo com os objetivos da propriedade

O produtor de pecuária de corte Silvio Pires de Inocência (MS) utiliza touros melhoradores, transferência de embrião e inseminação artificial por tempo fixo (IATF) para aumentar a produtividade de seu rebanho. Na fazenda, o rebanho é comercial e o ciclo, completo. Assim como Pires outros tantos pecuaristas brasileiros combinam biotecnologias reprodutivas com genômica animal na rotina de suas propriedades rurais.

Isso é o que nota o pesquisador brasileiro Laércio Ribeiro Porto-Neto, há 11 anos atuando na CSIRO Agriculture & Food, entidade de pesquisa australiana, que divide essa aplicabilidade em baixa, média e alta tecnologia. A adoção de DEP (Diferença Esperada na Progênie) genômica com touros melhoradores ou com inseminação artificial (IA), por exemplo, é enquadrada como baixa.

“Um núcleo de touros melhoradores, genotipados, torna-se referência para um grupo de multiplicadores e, posteriormente, um rebanho comercial. Utilizando um animal melhorador você amplia o resultado. É simples, use o touro certo”. Para eficiência reprodutiva é possível intervir também na taxa de desmama e no peso do bezerro ao desmame na produção.

Como técnicas consideradas média estão o uso de DEP genômica com IATF ou com fertilização in vitro (FIV). Já a alta tecnologia envolve a edição genômica com clonagem ou com FIV. Segundo ele, a baixa e média têm alta penetração e melhoram o rebanho, estão próximas ou prontas para aplicação. As de alta têm baixa penetração e geram animais melhorados, com a grande maioria em desenvolvimento. “Sendo ainda preciso aperfeiçoar as técnicas, identificar as mutações causais uteis para o melhoramento animal. Precisamos saber exatamente e, assim, regulamentar”, afirma.

Porto-Neto reforça que para as condições brasileiras, com altos índices de inseminação por touro, animais a pasto, o melhoramento passa pela aplicação de baixas e médias e eficientes tecnologias. Ele sugere que o produtor observe o que está disponível e pondere a adequação (ou não) ao seu sistema produtivo e realidade.

A dica é seguida por Pires, que enxerga a genômica de alto nível ainda distante de seu cotidiano, mas altamente necessária para o futuro. Para o pecuarista, a adoção passa por ajustes em toda propriedade, “pois a expressão do potencial genético só será percebida se o ambiente estiver preparado para isso”. É o que ele busca e isso inclui capacitação. Pires participou da edição 2018 do Repgen – Reprodução e Genômica, em Campo Grande (MS), onde o cientista Porto-Neto palestrou.

Repgen
Uma das coordenadoras do evento, a geneticista da Embrapa Fabiane Siqueira comenta que o tema genômica este ano despertou mais interesse do público, em relação ao ano passado. A média de 120 participantes permaneceu durante os dois dias de evento. “A genômica é complexa, mas o interesse cresce à medida que os produtores partilham suas experiencias positivas com a tecnologia. Não tem necessidade de o produtor entender de estatística ou métodos, mas compreender o que é a ferramenta que escolheu, como usá-la (na prática) e qual o resultado”.

A equipe da Embrapa – Unidades Gado de Corte, Pecuária Sudeste, Gado de Leite e Recursos Genéticos e Biotecnologia está a preparar um projeto relacionado à edição gênica, assim como, uma possível parceria com a CSIRO Agriculture & Food, por meio de Porto-Neto. Siqueira ressalta que a genômica é uma ferramenta sem volta e os programas de melhoramento precisam inserir-se nesse contexto. Porto-Neto completa que somente com parceria e compartilhamento de dados se tem êxito.

Fonte: EMBRAPA

Maisnotícias

  • Exportações de carne bovina sobem 10% no ano até outubro

    Informação | 18 de Novembro de 2018
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os embarques de carne bovina brasileira para o exterior aumentaram 10% de janeiro a outubro, na comparação com igual período de 2017, informou a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo) nesta semana. O Brasil exportou 1,3 milhão de toneladas de carne bovina nos dez primeiros meses do ano. Em receita, ess...
  • Porto Alegre inaugura restaurante exclusivo de Carne Certificada Hereford

    Carne, Mercado | 16 de Novembro de 2018
    Foto: Associação Brasileira de Hereford e Braford
    A capital gaúcha conta agora com novo espaço gastronômico que serve 100% Carne Certificada Hereford. Nesta terça-feira, dia 13, aconteceu o lançamento exclusivo da Parrillaria Los Cinco para a imprensa. A casa que conta com o apoio da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) e parceria com o Frigorífico...
  • Oficinas de churrasco: não basta comer, tem que saber assar

    Carne | 16 de Novembro de 2018
    Foto: Beta Iribarrem
    Público da Capital interessado em comandar refeições entre amigos busca mestres assadores para aprender os segredos do típico prato gaúcho
    Para evoluir da condição de apreciador para assador de churrasco, os porto-alegrenses estão marcando presença em oficinas onde os segredos do prato-símbolo da gastronomia g...
  • Frigorífico El’Golli e ABHB recebem visita técnica anual da CNA

    Informação | 16 de Novembro de 2018
    Foto: Divulgação/Assessoria
    A equipe do Programa Carne Pampa da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) acompanhou na última segunda-feira, dia 12, o processo de acreditação do protocolo da Carne Certificada Hereford em plantas frigoríficas. A inspeção técnica, feita anualmente pela Confederação Nacional de Agricultura e Pecu...
  • Inseminação: Enorme potencial para crescer (Entrevista com Pietro Baruselli, USP)

    Informação | 14 de Novembro de 2018
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O mercado brasileiro de sêmen bovino pode dobrar de tamanho na próxima década. A opinião é de um dos maiores especialistas do país em inseminação artificial, o professor Pietro Baruselli, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo. O otimismo decorre do crescim...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais