Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 17/06/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Carlos Nabinger questiona: precisamos manter os campos?

Informação | 14 de Dezembro de 2018

* Carlos Nabinger é professor da Faculdade de Agronomia da UFRGS

Foto: Divulgação/Assessoria

Professor da Faculdade de Agronomia da Ufrgs, Carlos Nabinger comenta ameaças aos campos nativos e os riscos associados que vão além da vegetação, incluindo as águas e espécies animais 

As ameaças aos campos sul-brasileiros, não só continuam como aumentaram, apesar das restrições da legislação. Segundo a Embrapa, em 2017 os campos recobriam menos de 36% do Bioma Pampa e 11% da Mata Atlântica. Mas não apenas a supressão dessa vegetação de diversidade ímpar nos preocupa. É que, com isso, se altera também a macro, meso e microfauna associada, cujo funcionamento em interação entre si e com a vegetação, o solo e atmosfera, são responsáveis pelos imprescindíveis serviços ecossistêmicos: sequestro de carbono e qualidade do ar e do solo, regulagem e qualidade das águas, manutenção de polinizadores, entre outros. 

Não só a diminuição da área, mas, também, sua fragmentação leva à diminuição brutal na oferta destes serviços. Se a isso adicionarmos ameaças que agora ganham espaço na mídia, como as derivas de herbicidas, inseticidas e fungicidas, o problema toma proporções alarmantes, pois está afetando o pouco que resta desses campos. E, atenção, o efeito imediato e visível é sobre a vegetação, como se observa nos olivais, vinhedos e campos, mas o invisível é mais grave, pois é a qualidade das águas e a vida microbiana associada às vegetações, sem falar nos polinizadores – abelhas e pássaros –, que são afetados. 

A diversificação da agricultura é necessária, mas deve ser feita com sistemas de produção mais seguros e obedecendo às leis vigentes, como o respeito às zonas de amortecimento das unidades de conservação e Áreas de Preservação Permanentes (APPs) e às formas de aplicação de agrotóxicos. Isso sem falar na necessidade premente de contarmos com um ordenamento territorial que considere a conservação, ao menos em parte, das vegetações naturais. 

Além do mais, não podemos continuar raciocinando exclusivamente em termos de movimento financeiro imediato, como é o caso de algumas culturas altamente demandantes de insumos externos, pois a riqueza deixada aos territórios é questionável, mesmo sem entrar no mérito dos custos ambientais.

A ciência demonstra que a pecuária sobre campo nativo mantém e melhora os serviços ecossistêmicos, pode ser altamente lucrativa e deve fazer parte obrigatória dos sistemas agrícolas regionais. Mas é preciso políticas públicas que atendam o que foi dito acima, e que as lideranças do setor acreditem que nossa verdadeira riqueza está naquilo com que a natureza nos brindou. E ela foi muito pródiga em nossos pagos. Não joguemos isso fora. As próximas gerações vão nos cobrar!

* Carlos Nabinger é professor da Faculdade de Agronomia da Ufrgs

Fonte: GauchaZH, 14/12/18




Maisartigos

  • Pablo Bove Itzaina: “O show é caro para a Brangus aqui no Uruguai”

    Exposição, Informação | 16 de Junho de 2019
    Foto: El País
    Por Pablo Mestre/El Pais Rurales (15/06/19) 

    A los 31 años fue el jurado más joven de la Expo Nacional Brangus en Argentina que reunió a 450 reproductores de 70 cabañas. Aseguró que se enfrentó al mejor Brangus de la región y se mostró emocionado por la distinción de los criadores del vecino país. El director d...
  • O nome do terneiro gaúcho é R$ 6,50

    Informação | 14 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Na data que redijo este texto (23/05), está praticamente encerrada a temporada de outono das feiras de terneiros no Rio Grande do Sul. Restam ainda alguns leilões neste final de maio e início de junho, mas estamos quase no fim. Quando os a...
  • Brangus: ABB e Ufrgs assinam convênio de cooperação técnica

    Informação | 10 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Acordo prevê atividades de pesquisa na área de tecnologia de imagens e transferência de material genético e equipamentos Um convênio de Cooperação Técnica entre a Associação Brasileira de Brangus (ABB) e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul foi assinado nesta segunda-feira, 10 de junho, em Porto Alegre ...
  • Santa Maria sediou a III Exposição Nacional de Rústicos Brangus

    Exposição, Informação | 07 de Junho de 2019
    Foto: Bezier Filmes
    A III Exposição Nacional de Rústicos Brangus, promovida pelo Núcleo Brangus Sul, ocorreu nos dias 15 a 17 de maio no Parque de Exposições da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e integrou a programação da 28ª edição da Encorte. O julgamento, realizado no dia 17, contou com a participação de dez criat...
  • MAPA: Avançam negociações para exportação de gado vivo para Laos

    Informação | 03 de Junho de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Secretário adjunto de Comércio e Relações Internacionais do Mapa esteve no país na última semana em missão oficial
    O governo de Laos vai enviar cartas oficiais aprovando integralmente os requisitos propostos pelo Brasil para a exportação de animais vivos (bovinos para reprodução, engorda e abate) e carne de ave...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais