Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 15/12/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Morte de bovinos por intoxicação em Santana da Boa Vista (RS)

Informação | 21 de Dezembro de 2018

Vacas morrem envenenadas em propriedade rural em Santana da Boa Vista

Foto: Divulgação/Assessoria

Suspeita de mistura de produto para banho de ovinos no tratamento dos bovinos

Um produtor rural de Santana da Boa Vista lamentou a morte de 22 vacas por envenenamento na segunda-feira, dia 17. Os animais pertenciam a Rui Monteiro e estavam no Rincão da Cavalhada.

A suspeita é de que as mortes tenham sido causadas de forma acidental. Conforme o filho de Monteiro, eles utilizam a mesma caixa d’água para banhar ovelhas e vacas. Ele acredita que o remédio utilizado nas ovelhas, há cerca de 15 dias, tenha se misturado com o produto usado nas vacas, ocasionando as perdas.

O prejuízo estimado com a morte dos bovinos é de mais de R$ 40 mil.

Segundo a médica veterinária Nathalia de Bem Bidone, que é fiscal agropecuária na Inspetoria Veterinária de Caçapava do Sul, é preciso ter cuidado com o banho de animais para não intoxicá-los. A médica cita abaixo algumas dicas para evitar perdas:


Dicas para evitar intoxicação dos animais

- Sempre seguir a bula dos medicamentos para saber a dosagem! (as concentrações variam de um produto para o outro)

- Carga correta do banheiro (saber o volume do banheiro para saber a quantidade de produto que deve colocar)

- Cuidar a categoria do animal. Evitar banhar terneiros muito novos, pois estes tem maior risco de intoxicação.

- Nunca fazer misturas de dois produtos. Se precisar trocar o produto do banheiro é necessário esvaziar e limpar para depois acrescentar o novo produto, até porque se o banheiro não está limpo e com o pH adequado o produto pode não funcionar adequadamente.

- Nunca misturar o produto com outra substância. Já houve casos de produtores misturarem com óleo por acreditarem que o produto funcionaria melhor e intoxicarem todos os animais.

- Nunca utilizar um local/frasco/bomba costal que tenha sido utilizada com outro produto para colocar o produto que será administrado nos animais.

- São frequentes as intoxicações pelo uso de bomba costal que foi utilizada previamente com defensivos agrícolas deixando resíduo na bomba e depois utilizar a mesma para banhar os animais.

- Banhar os animais sempre nas horas mais frescas do dia e na sombra. Nunca banhar e deixar no sol.

- Após o banho soltar os animais em local que tenha água a vontade para os animais beberem e sombra.

- Obedecer aos períodos de carência para abate e para ingerir o leite de vacas que foram banhadas. O resíduo fica e os produtos são muito fortes, portanto deve-se respeitar o período indicado pelo fabricante.

- Em casos de intoxicação do animal, chamar imediatamente um Médico Veterinário.

- O produtor pode questionar previamente a um Médico veterinário qual produto pode ter à disposição na farmácia veterinária da fazenda para utilizar em caso de ter algum animal intoxicado. Os produtos chamados antagonistas, que agem positivamente na reversão de uma intoxicação e são específicos para o tipo de produto que está sendo utilizado.

- Muito cuidado com a intoxicação humana! Também são inúmeros os casos de atendimentos em hospitais de trabalhadores rurais intoxicados. Sempre utilizar EPI (Equipamento de Proteção Individual).

Fonte: Farrapo (Caçapava do Sul) - 20/12/18

Maisartigos

  • ANGUS: touros com mais de 500 filhos avaliados

    Informação | 15 de Dezembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Os sumários de touros são boas fontes para compreendermos os movimentos que as raças vivem. As informações disponíveis vão muito além de saber a DEP do touro A ou B para peso ao nascer, perímetro escrotal e diferentes índices (desmam...
  • Anguistas e branguistas: é passada a hora do marmoreio

    Genética, Informação | 18 de Novembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A essa altura do campeonato da carne de qualidade no Brasil, zero novidade falar em marmoreio. Mas, para os selecionadores, especialmente das raças Angus e Brangus, é o momento de olhar e agir com mais atenção para animais superiores genetica...
  • Aliança Braford faz R$ 8,3 mil para touros em Lavras do Sul

    Informação | 27 de Outubro de 2019
    Foto: Katega Vaz
    Dando continuidade aos remates oficializados pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), foi realizado no último sábado, dia 19 de outubro, no Sindicato Rural de Lavras do Sul (RS), mais uma edição do Remate Aliança Braford, promovido pelas Estâncias Cochilhas, Pontezuela, Três Marias e São Bento. ...
  • Touros: do Colonial ao Genômico

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Redigo, hoje, influenciado pela atmosfera da temporada de primavera do Rio Grande do Sul, pois já foi dada alargada e ainda estou envolvido com acertos, fretes e documentos de alguns touros adquiridos para clientes no leilão da GAP Genética. R...
  • Genética Nacional: Panorama dos touros Angus e Brangus nas centrais de inseminação

    Genética, Informação, Mercado | 16 de Setembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Angus, Nelore e Brangus dominam o mercado de inseminação de bovinos de corte no Brasil. Exagero? Vamos aos números. Conforme a ASBIA, em 2018, as raças de corte venderam, no Brasil, aproximadamente, 9,6 milhões de doses. Da raça Angus, 4,9 milhões de doses foram vendidas; seguida por Nelore, com 3,3 milhões; e Br...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais