Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Morte de bovinos por intoxicação em Santana da Boa Vista (RS)

Informação | 21 de Dezembro de 2018

Vacas morrem envenenadas em propriedade rural em Santana da Boa Vista

Foto: Divulgação/Assessoria

Suspeita de mistura de produto para banho de ovinos no tratamento dos bovinos

Um produtor rural de Santana da Boa Vista lamentou a morte de 22 vacas por envenenamento na segunda-feira, dia 17. Os animais pertenciam a Rui Monteiro e estavam no Rincão da Cavalhada.

A suspeita é de que as mortes tenham sido causadas de forma acidental. Conforme o filho de Monteiro, eles utilizam a mesma caixa d’água para banhar ovelhas e vacas. Ele acredita que o remédio utilizado nas ovelhas, há cerca de 15 dias, tenha se misturado com o produto usado nas vacas, ocasionando as perdas.

O prejuízo estimado com a morte dos bovinos é de mais de R$ 40 mil.

Segundo a médica veterinária Nathalia de Bem Bidone, que é fiscal agropecuária na Inspetoria Veterinária de Caçapava do Sul, é preciso ter cuidado com o banho de animais para não intoxicá-los. A médica cita abaixo algumas dicas para evitar perdas:


Dicas para evitar intoxicação dos animais

- Sempre seguir a bula dos medicamentos para saber a dosagem! (as concentrações variam de um produto para o outro)

- Carga correta do banheiro (saber o volume do banheiro para saber a quantidade de produto que deve colocar)

- Cuidar a categoria do animal. Evitar banhar terneiros muito novos, pois estes tem maior risco de intoxicação.

- Nunca fazer misturas de dois produtos. Se precisar trocar o produto do banheiro é necessário esvaziar e limpar para depois acrescentar o novo produto, até porque se o banheiro não está limpo e com o pH adequado o produto pode não funcionar adequadamente.

- Nunca misturar o produto com outra substância. Já houve casos de produtores misturarem com óleo por acreditarem que o produto funcionaria melhor e intoxicarem todos os animais.

- Nunca utilizar um local/frasco/bomba costal que tenha sido utilizada com outro produto para colocar o produto que será administrado nos animais.

- São frequentes as intoxicações pelo uso de bomba costal que foi utilizada previamente com defensivos agrícolas deixando resíduo na bomba e depois utilizar a mesma para banhar os animais.

- Banhar os animais sempre nas horas mais frescas do dia e na sombra. Nunca banhar e deixar no sol.

- Após o banho soltar os animais em local que tenha água a vontade para os animais beberem e sombra.

- Obedecer aos períodos de carência para abate e para ingerir o leite de vacas que foram banhadas. O resíduo fica e os produtos são muito fortes, portanto deve-se respeitar o período indicado pelo fabricante.

- Em casos de intoxicação do animal, chamar imediatamente um Médico Veterinário.

- O produtor pode questionar previamente a um Médico veterinário qual produto pode ter à disposição na farmácia veterinária da fazenda para utilizar em caso de ter algum animal intoxicado. Os produtos chamados antagonistas, que agem positivamente na reversão de uma intoxicação e são específicos para o tipo de produto que está sendo utilizado.

- Muito cuidado com a intoxicação humana! Também são inúmeros os casos de atendimentos em hospitais de trabalhadores rurais intoxicados. Sempre utilizar EPI (Equipamento de Proteção Individual).

Fonte: Farrapo (Caçapava do Sul) - 20/12/18

Maisartigos

  • Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

    Informação | 26 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

    Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas faz...
  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais