Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 15/11/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

A cereja do bolo ou a taxa de desmame?

Carne, Informação, Mercado | 09 de Janeiro de 2019

Prof. José Fernando Piva Lobato (Fac. de Agronomia-UFRGS)

Foto: Imagens da Internet

Por Prof. José Fernando Piva Lobato - Fac. de Agronomia UFRGS

Ao encerrarmos mais um ano festejamos o incremento de 10% nas exportações de produtos cárneos bovinos, mas amargamos 14 milhões de desempregados e 35 milhões de subempregados. Ao acertarmos o país, o mais rápido possível, números expressivos de possíveis e ávidos consumidores.

Estimulante o número crescente de pecuaristas participantes dos programas de carnes de qualidade, fortalecendo como nunca as associações de criadores, com bonificações de até 10% em carcaças acima de 240 kg, com dentição jovem, acabamento 3 a 6 mm e rastreadas. No entanto, esta “cereja do bolo” não é correspondida com a mesma eficiência nos rodeios de cria.

Ao analisar na Sec. da Agricultura os números de bovinos do RS nas diferentes categorias, declarados pelos pecuaristas, repassados ao Ministério da Agricultura e aos organismos internacionais, vê-se a permanência constante de novilhas de dois e três anos, até então sem desenvolvimento para iniciar a reprodução, 1.182.970 e 1.276.506, respectivamente (em 17/12/18, às 10h18min). Estas, se somadas as novilhas de ano totalizam 3.700.000 a 3.800.000. Elas, mais a relação de 54-56 terneiros por 100 vacas existentes nos meses de junho, demonstram uma constante ineficiência dos rodeios de cria.

Uma crassa dicotomia! Qualidade de produto possível e valorizada versus ineficiência dos rodeios de cria. Enquanto temos condições de atender mercados gourmets nacionais e internacionais, os rodeios de cria padecem sem oferta forrageira adequada. Sem o mínimo uso de manejo forrageiro disseminado há anos.

No entanto, Prof. Richard Willham, Iowa State University, USA, enfatiza que a “reprodução” com características como idade ao primeiro parto, fertilidade, facilidade de parto, sobrevivência e terneiro desmamado/vaca tem o valor econômico relativo 100, o maior, enquanto as de “produção maternais” (produção de leite e tamanho adulto) e as de “mercado” (taxa de crescimento e eficiência alimentar) têm valor 20. O produto, a carne em si (quantidade e qualidade), somente o valor relativo 10. Ou seja, enquanto corretamente há estímulo a quem produz novilhos(as) de qualidade, há milhões de fêmeas em condições de subnutrição e, por conseguinte, com baixo desempenho e produtividade, prejudicando o sistema. Fruto do desconhecimento de corretas ofertas forrageiras. Basta olhar para os campos.

Esta persistente ineficiência nos rodeios de cria limita a reposição de melhores novilhas (vacas), a eficiência do sistema (kg ao desmame por 100 kg de vaca, ou hectare), reduzindo o peso dos cortes, alterando a constituição e qualidade dos mesmos.
Enquanto a “cereja do bolo” pode proporcionar mais 10% de preço, quanto proporcionaria maior taxa de desmame?

Fonte: Prof. José Fernando Piva Lobato (Fac. de Agronomia-UFRGS)

Maisartigos

  • Aliança Braford faz R$ 8,3 mil para touros em Lavras do Sul

    Informação | 27 de Outubro de 2019
    Foto: Katega Vaz
    Dando continuidade aos remates oficializados pela Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB), foi realizado no último sábado, dia 19 de outubro, no Sindicato Rural de Lavras do Sul (RS), mais uma edição do Remate Aliança Braford, promovido pelas Estâncias Cochilhas, Pontezuela, Três Marias e São Bento. ...
  • Touros: do Colonial ao Genômico

    Genética, Informação | 15 de Outubro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Redigo, hoje, influenciado pela atmosfera da temporada de primavera do Rio Grande do Sul, pois já foi dada alargada e ainda estou envolvido com acertos, fretes e documentos de alguns touros adquiridos para clientes no leilão da GAP Genética. R...
  • Genética Nacional: Panorama dos touros Angus e Brangus nas centrais de inseminação

    Genética, Informação, Mercado | 16 de Setembro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Angus, Nelore e Brangus dominam o mercado de inseminação de bovinos de corte no Brasil. Exagero? Vamos aos números. Conforme a ASBIA, em 2018, as raças de corte venderam, no Brasil, aproximadamente, 9,6 milhões de doses. Da raça Angus, 4,9 milhões de doses foram vendidas; seguida por Nelore, com 3,3 milhões; e Br...
  • Touro Dupla Marca é a geladeira com selo A

    Genética, Informação | 15 de Agosto de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Redigir e discutir critérios de escolha de touros é tema que se repete, mas é matéria sem fim e que se renova a cada temporada de leilões de reprodutores e aquisição de sêmen. A necessidade se apresenta a cada ano, e os fatores que participam da decisão vão se tornando mais complexos com a incorporação cresce...
  • A internet, os acessos e a revista impressa

    Genética, Informação | 13 de Julho de 2019
    Foto: Assessoria de Imprensa ABS
    Acredito que todo aquele que escreve uma coluna, um artigo ou uma crônica tenha muita curiosidade de saber se é lido, se é lido por muitos, se o tempo dedicado em reunir palavras e ideias gerou interesse e teve utilidade para quem o lê. Não é busca por aprovação ou aplausos, mas o interesse
    real em saber a opiniã...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais