Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 19/01/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

A cereja do bolo ou a taxa de desmame?

Carne, Informação, Mercado | 09 de Janeiro de 2019

Prof. José Fernando Piva Lobato (Fac. de Agronomia-UFRGS)

Foto: Imagens da Internet

Por Prof. José Fernando Piva Lobato - Fac. de Agronomia UFRGS

Ao encerrarmos mais um ano festejamos o incremento de 10% nas exportações de produtos cárneos bovinos, mas amargamos 14 milhões de desempregados e 35 milhões de subempregados. Ao acertarmos o país, o mais rápido possível, números expressivos de possíveis e ávidos consumidores.

Estimulante o número crescente de pecuaristas participantes dos programas de carnes de qualidade, fortalecendo como nunca as associações de criadores, com bonificações de até 10% em carcaças acima de 240 kg, com dentição jovem, acabamento 3 a 6 mm e rastreadas. No entanto, esta “cereja do bolo” não é correspondida com a mesma eficiência nos rodeios de cria.

Ao analisar na Sec. da Agricultura os números de bovinos do RS nas diferentes categorias, declarados pelos pecuaristas, repassados ao Ministério da Agricultura e aos organismos internacionais, vê-se a permanência constante de novilhas de dois e três anos, até então sem desenvolvimento para iniciar a reprodução, 1.182.970 e 1.276.506, respectivamente (em 17/12/18, às 10h18min). Estas, se somadas as novilhas de ano totalizam 3.700.000 a 3.800.000. Elas, mais a relação de 54-56 terneiros por 100 vacas existentes nos meses de junho, demonstram uma constante ineficiência dos rodeios de cria.

Uma crassa dicotomia! Qualidade de produto possível e valorizada versus ineficiência dos rodeios de cria. Enquanto temos condições de atender mercados gourmets nacionais e internacionais, os rodeios de cria padecem sem oferta forrageira adequada. Sem o mínimo uso de manejo forrageiro disseminado há anos.

No entanto, Prof. Richard Willham, Iowa State University, USA, enfatiza que a “reprodução” com características como idade ao primeiro parto, fertilidade, facilidade de parto, sobrevivência e terneiro desmamado/vaca tem o valor econômico relativo 100, o maior, enquanto as de “produção maternais” (produção de leite e tamanho adulto) e as de “mercado” (taxa de crescimento e eficiência alimentar) têm valor 20. O produto, a carne em si (quantidade e qualidade), somente o valor relativo 10. Ou seja, enquanto corretamente há estímulo a quem produz novilhos(as) de qualidade, há milhões de fêmeas em condições de subnutrição e, por conseguinte, com baixo desempenho e produtividade, prejudicando o sistema. Fruto do desconhecimento de corretas ofertas forrageiras. Basta olhar para os campos.

Esta persistente ineficiência nos rodeios de cria limita a reposição de melhores novilhas (vacas), a eficiência do sistema (kg ao desmame por 100 kg de vaca, ou hectare), reduzindo o peso dos cortes, alterando a constituição e qualidade dos mesmos.
Enquanto a “cereja do bolo” pode proporcionar mais 10% de preço, quanto proporcionaria maior taxa de desmame?

Fonte: Prof. José Fernando Piva Lobato (Fac. de Agronomia-UFRGS)

Maisartigos

  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...
  • Morte de bovinos por intoxicação em Santana da Boa Vista (RS)

    Informação | 21 de Dezembro de 2018
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Suspeita de mistura de produto para banho de ovinos no tratamento dos bovinos

    Um produtor rural de Santana da Boa Vista lamentou a morte de 22 vacas por envenenamento na segunda-feira, dia 17. Os animais pertenciam a Rui Monteiro e estavam no Rincão da Cavalhada. A suspeita é de que as mortes tenham sido causadas de fo...
  • O Poder do Hábito na Pecuária de Corte

    Informação | 16 de Dezembro de 2018
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Nos dias de fechamento desta edição, participei da cerimônia de premiação do Touro de Ouro 2018, na Intercorte, em São Paulo. 

    No meu discurso da abertura, recordei que o envio deste texto mensalmente para a Revista AG, nos últimos ...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais