Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 31/03/2020

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

Informação | 13 de Janeiro de 2019

Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

Foto: Divulgação/Assessoria

Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defende a atividade como quem torce pelo seu time de futebol.

Na realidade, é bom senso olhar como se fosse uma balança, primeiro buscando o equílibrio entre seus pratos, depois, o superávit no lado que representa os ganhos econômicos do setor, a geração de riquezas, de empregos, os avanços científicos e tecnológicos, a necessária renda aos produtores rurais. Segundo, deveremos olhar para o outro lado, dos custos, do uso dos recursos naturais e do atendimento às normas vigentes. Assim, poderemos, na maioria das vezes, manter hasteada a bandeira do complexo agro, sendo inclusive defendida por aqueles que até jogam pedras. Portanto, é preciso um certo cuidado com defensores ou acusadores com camisetas sem compromissos com a sociedade.

Dessa forma, o governo que a partir de 1º. de janeiro toma as rédeas do Estado, precisa ter olhos de medusa sobre os dois pratos da balança. Em um deles, precisa compreender as questões da produtividade da pecuária e as reais necessidades de melhorias na cadeia produtiva da carne bovina, produto que pode alavancar vários segmentos para a retomada do crescimento econômico. Não pode descuidar do fenômeno “agriculturização” da metade sul, em particular da Zona Sul e Campanha. Aqui, a palavra euforia, deve ser substituída pelas palavras “cautela, risco e estratégia”.

O pampa não é mais o mesmo. Portanto, a complexidade da sua matriz de negócios também não pode seguir seus velhos modelos. Ganhar mercado na carne bovina é imperioso e a exportação é vital para isso. No entanto, é necessária uma política de Estado de médio e longo prazos para remeter ao reconhecimento internacional da sanidade dos rebanhos e confirmar, por meio da rastreabilidade do gado, às garantias do que é dito lá fora. Um olhar para a entrada de carne de outros estados, mesmo mantendo uma política econômica liberal, precisa ser avaliada.

Por fim, senhor governador, para alcançar tudo isso, é vital a presença do conhecimento, da inovação, do desenvolvimento tecnológico e das condições necessárias e, até mesmo facilitadas, para internalizá-las dentro da porteira. Para isto, é preciso criar o ambiente institucional que catalize as principais instituições que geram o conhecimento e a inovação à pecuária de corte. O exemplo do governante, certamente arrastará todos aqueles que tem compromissos com a modernização do agronegócio. A inteligência estratégica reunida, construirá um novo cenário de crescimento com desenvolvimento. Não abdique da palavra conhecimento; para o Estado que desejamos não há outro caminho sem ela!

* Publicado no jornal Correio do Povo (13/01/2019) 

Maisartigos

  • Produção de touros: negócio para especialista

    Genética, Informação | 15 de Março de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    Na pecuária de corte, algumas pessoas dividem os produtores em dois grupos: o do pecuarista comercial, dedicado a produzir terneiros, à recria ou a animais para abate; e o do pecuarista produtor de touros, envolvido com rebanhos de gado “puro...
  • Os benefícios visíveis do quilo da carne

    Carne, Informação | 28 de Fevereiro de 2020
    Foto: Imagens da Internet
    Na segunda-feira, dia 17, o artigo “Os custos invisíveis do quilo da carne”, publicado nesta Folha, sugeriu a relação entre impostos e desmatamento, raciocínio formulado a partir de dois estudos recentes. Sem nenhuma repreensão aos autores, julgamos importante esclarecer alguns pontos para que decisões equivoca...
  • O diálogo necessário entre agricultura e meio ambiente

    Informação | 28 de Fevereiro de 2020
    Foto: Imagens da Internet
    Em vez do ‘nós contra eles’, é preciso compatibilizar as agendas globais do clima e da alimentação. Os dois setores da economia brasileira com maior visibilidade global são a agricultura e o meio ambiente. O protagonismo da agricultura brasileira se dá no comércio global de commodities agropecuárias. Nossa ...
  • Negocio Direto: fazendo em vez de esperar

    Informação, Mercado | 14 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A ação é melhor que a inércia. Quem sabe faz a hora, não espera acontecer. Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé, e por aí vai. O propósito deste meu texto é compartilhar algumas informações sobre o Grupo de Produtores...
  • EAD pode causar prejuízos na formação do médico veterinário

    Informação | 09 de Fevereiro de 2020
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por João Carlos Gonzales, presidente da Academia Rio-Grandense de Medicina Veterinária

    A recente autorização governamental para que instituições com curso de medicina veterinária utilizem 40% do tempo na forma de ensino a distância (EAD), isto é, por correspondência e/ou internet, despertou a atenção para pos...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais