Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 16/02/2019

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

Informação | 26 de Janeiro de 2019

Mitos e verdades do cruzamento (Por B. Lynn Gordon, Beef Magazine)

Foto: Divulgação/Assessoria

Os Cruzamentos e a heterose resultante têm sido utilizados por gerações. Mas ainda restam discussões.

Há sempre muita discussão e debate na pecuária de corte sobre o cruzamento. Dois pesquisadores da Universidade Estadual do Kansas se uniram para responder a algumas das perguntas mais comuns que os pecuaristas fazem sobre o cruzamento.

Aqui estão algumas perguntas frequentes:

Existem benefícios em realizar cruzamento em bovinos de corte? Verdade.


"Os benefícios do cruzamento são a heterose e a complementaridade entre as raças", diz Bob Weaber, especialista em gado de corte. Historicamente, a heterose ou o vigor híbrido tem sido o resultado positivo do cruzamento em função da superioridade do animal cruzado em comparação com a média de seus pais de raça pura. Um aumento no peso à desmama, por exemplo.

Recentemente, a discussão de cruzamento incluiu a complementaridade entre as raças, onde reunimos em um animal as características fortes de duas raças.
"O foco é complementar os pontos fortes e fracos de cada um", diz Megan Rolf, professora assistente de genética da K-State. Dois animais são cruzados para reunir as forças dos animais individuais. Por exemplo, a musculosidade em uma raça para superar a deficiência desta característica de outra raça.

O cruzamento resulta em aumento no peso ao nascer do bezerro? Mito.

Uma grande base de dados do Meat Animal Research Center (MARC), em uma variedade das principais raças bovinas dos Estados Unidos e seus cruzamentos (mais de 25.000 cruzamentos / bezerros no banco de dados), reestimou os efeitos da heterose para peso ao nascer, peso à desmama e peso ao ano, incluindo os cruzamentos de Britânico x Britânico; Continental x Britânico; e Continental x Continental, explica Weaber. "O aumento médio no peso ao nascer devido à heterose foi de 0,5-0,7 kilogramas", diz ele, "não é um grande aumento, como muitas vezes se acredita."

Quanto mais geneticamente distantes as duas raças, maior a heterose? Verdade.

“Quanto mais divergentes ou diferentes as raças parentais, mais heterose um produtor de carne bovina verá do acasalamento”, diz Rolf. A heterose é derivada de combinações de diferentes alelos (comumente referidos como formas de um gene), de raças-mãe, o que aumenta a heterozigose em muitos lugares no genoma e ajuda os indivíduos a se recuperarem da depressão por endogamia.

A heterose só existe na primeira geração de cruzamento? Mito.

“O acasalamento de dois animais de raça pura (de diferentes raças) em uma primeira cruza resultará em heterose. No entanto, o acasalamento F1 x F1 (o gado F1 é o produto do cruzamento inicial) com a mesma composição de raça ainda resultará em 50% de heterose no acasalamento ”, diz Rolf.
“Na verdade, o acasalamento de dois animais cruzados resulta na retenção de alguma heterose, no entanto, a quantidade de heterose retida será diferente em diferentes sistemas de cruzamento, dependendo do sistema e do número de raças envolvidas.”

O cruzamento de linhas não relacionadas dentro de uma raça (por exemplo, uma linha materna com uma linha terminal) resultará em heterose? Mito.

"A heterose não está disponível a partir de cruzamentos dentro da raça, mas apenas disponível por acasalar animais de duas ou mais raças", diz Weaber. Por exemplo, um Hereford x Hereford não fornecerá heterose. A pesquisa indica que a heterose ocorrerá ao cruzar um animal britânico com um animal continental ou um animal zebuíno.

Características de carcaça se beneficiam mais do cruzamento do que características de reprodução? Mito

Pesquisas em carne bovina demonstra que o nível de herdabilidade e heterose estão inversamente relacionados. Como resultado, essas características que são altamente herdáveis tendem a ser o oposto quando se trata de benefícios de heterose.
“Enquanto o desempenho de carcaça pode ter pequeno ganho do cruzamento, mais benefício vem do foco na complementaridade entre raças do que a heterose. As características reprodutivas, que são muito importantes para os criadores, são pouco herdáveis e, portanto, obtêm um grande benefício da heterose ”, diz Rolf.

Característica

Herdabilidade

Heterose

Reprodução (fertilidade)

Baixa

Alta

Produção (crescimento)

Moderada

Moderada

Produto (carcaça)

Alta

Baixa

 

Mas há mais justificativas para  cruzar do que apenas heterose, Rolf lembra aos  pecuaristas. Isto é devido aos benefícios que vêm da complementaridade da raça, onde o foco está nas características fortes de cada raça, permitindo que estas forças se complementem entre as duas raças utilizadas no cruzamento. O objetivo final é elevar os níveis de produtividade.

“Os produtores podem melhorar o resultado do cruzamento, tirando proveito das características economicamente importantes, como a reprodução / fertilidade que se beneficiam grandemente de heterose, mas tem pouca herdabilidde e, em seguida, utilizar a complementaridade raça e DEPs para ganhar benefícios a partir das características mais herdáveis”, conclui Weaber.

Fonte: Beef Magazine (23/Jan/2019) 

Maisartigos

  • Idade da vaca e produtividade (Quando ela está velha demais?) - Derrel Peel (Oklahoma University, EUA)

    Informação | 16 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Outubro é tradicionalmente época de desmame dos bezerros e o descarte de vacas para a temporada de parição na primavera nos EUA. No momento de descarte de matrizes os criadores enfrentam decisões difíceis. O descarte ótimo no rebanho requer uma bola de cristal afiada que poderia ver o futuro.

    Se o regime de chuvas...
  • Carne gaúcha: uma trajetória de terra, campo e gente (Por Roberto Grecellé - SEBRAE)

    Informação | 14 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    O dia a dia da pecuária de corte brasileira tem sido em favor da qualidade da carne produzida. Nas fazendas e nas indústrias, seja pelo zelo, pelos investimentos ou pelo aperfeiçoamento nos processos produtivos, os atores desta cadeia se empenham em produzir a cada dia uma carne de qualidade superior. Sim, é possíve...
  • Pecuária de corte: uma opinião para o novo governo

    Informação | 13 de Janeiro de 2019
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Júlio Barcellos, Prof. Titular, Fac. de Agronomia – NESPro/UFRGS

    Numa análise mais crítica, é preciso entender que desde que surgiu a palavra agronegócio em nosso vocabulário, é afirmado que em todas as suas dimensões só ocorrem “maravilhas”. O que é um profundo equívoco, quase viciado, de quem defe...
  • Comunicação como insumo fundamental para o agro

    Informação, Mercado | 11 de Janeiro de 2019
    Foto: AgroEffective
    Nestor Tipa Júnior
    Jornalista e pós graduado em Marketing no Agronegócio. Sócio-diretor da AgroEffective A agropecuária faz parte de um dos setores mais sensíveis à críticas e informações prejudiciais no Brasil. A opinião pública, por vezes, é severa nas cobranças aos produtores rurais e agroindústrias. Ba...
  • A cereja do bolo ou a taxa de desmame?

    Carne, Informação, Mercado | 09 de Janeiro de 2019
    Foto: Imagens da Internet
    Por Prof. José Fernando Piva Lobato - Fac. de Agronomia UFRGS

    Ao encerrarmos mais um ano festejamos o incremento de 10% nas exportações de produtos cárneos bovinos, mas amargamos 14 milhões de desempregados e 35 milhões de subempregados. Ao acertarmos o país, o mais rápido possível, números expressivos de pos...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais