Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 24/01/2021

Redes sociais

Agendade eventos

Últimasnotícias

ABS: Produtor e especialistas explicam como a genética pode contribuir para a redução de custos na fazenda

Genética | 09 de Julho de 2020

Além dos aumentos já conhecidos da produtividade e eficiência na pecuária, a genética também apresenta o seu valor enquanto uma ferramenta mais que adequada para a redução de gastos nas propriedades. Seja no corte ou no leite, a escolha dos touros certos pode promover grandes economias na fazenda

Quando se fala de genética, os temas mais comuns dizem respeito ao aumento da produtividade - e, portanto, da rentabilidade - nos rebanhos de corte e de leite. E, realmente, esses benefícios são indiscutivelmente uma marca das tecnologias genéticas, e constituem um grande motivo para se investir em ferramentas como a inseminação artificial, por exemplo.

Porém, as vantagens da genética vão ainda mais além do expressivo aumento da capacidade produtiva. Com a eficiência trazida pelo melhoramento genético, o produtor também é capaz de obter uma importante redução de custos na propriedade. Essa economia pode se manifestar de diversas formas, dependendo do sistema produtivo e das tecnologias utilizadas, bem como as características que servem de base para a seleção dos touros.

“Entre os fatores que representam reduções significativas das despesas das fazendas, podemos salientar a longevidade das vacas, a eliminação de certos gastos relacionados às doenças enfrentadas pelo gado, como o uso menos frequente de medicamentos, bem como o aumento da precocidade dos animais, que permite, essencialmente, que um touro ou uma vaca comecem a contribuir mais cedo para a produção pecuária”, enfatiza o diretor geral da ABS Brasil, Marcio Nery.

Tanto a carne quanto o leite apresentam as suas próprias potencialidades para a redução de custos nos rebanhos. Em propriedades de corte, por exemplo, um dos principais elementos que viabiliza cortes nas despesas cotidianas é a eficiência alimentar, como explica o gerente de Mercado e Contas-Chave Corte, Gustavo Morales.

“A eficiência alimentar está diretamente ligada à redução do consumo de alimento, que impacta na economia de alimentação, em relação ao pasto e sistemas mais intensivos, como o semiconfinamento e o confinamento. Quando se utiliza uma genética que carrega esse potencial, as diferenças nos gastos são notáveis”, revela Gustavo.

É simples: quanto menos alimento um touro precisar consumir para atingir o ganho de peso desejado, menos o produtor terá que gastar com esse alimento. Isso, sem levar em consideração que o animal que alcança essa meta mais cedo oferece um retorno mais rápido para a fazenda, reduzindo gastos referentes a cada dia que ele passaria na fase de engorda.

Para o leite, o princípio é o mesmo - a redução de custos com base na eficiência superior, decorrente do melhoramento genético. É o que conta o gerente de Mercado e Contas-Chave Leite da ABS, Marcello Mamedes.

“Graças à tecnologia e às informações validadas por meio da comprovação do genótipo e fenótipo, o produtor consegue construir uma genética que ‘salva dinheiro’, investindo, por exemplo, nas características de saúde disponíveis nas provas americanas e no Transition Right da ABS. Somando isso ao manejo que os clientes praticam, o resultado é o aumento das receitas e a redução dos gastos com vacas em aberto e medicamentos e doenças como a mastite”, considera.

Quem aposta na genética já conhece esses benefícios de perto. É o caso do produtor Daniel José Bernardes, da Fazenda Olhos D'Água, localizada no município de Tiros (MG).

Desde 2014, Daniel desenvolve na sua propriedade, que abriga um rebanho Holandês, um projeto de planejamento pensado para a produção leiteira, focado, principalmente, na obtenção de vacas de ampla capacidade produtiva e longevidade. A estratégia baseia-se no uso da genômica para avaliar os animais, ajudando a decidir quais doadoras são multiplicadas e quais acasalamentos realizar.

"Além da produtividade leiteira, que é o foco principal da seleção, também fazemos questão de utilizar animais com excelente desempenho em saúde e ótimos resultados reprodutivos. Um animal que emprenha mais cedo e com mais facilidade significa a necessidade de menos doses de sêmen e um retorno mais rápido do investimento, o que resulta, na prática, em menores despesas", avalia o produtor.

Nesse processo, o auxílio técnico da equipe da ABS revelou-se fundamental para se assegurar a escolha da genética mais indicada para cumprir os objetivos da propriedade. "Desde a seleção dos touros até os acasalamentos e as avaliações dos ganhos genéticos, de geração em geração, o apoio da ABS tem sido muito importante para essas tomadas de decisão, que resultam tanto no aumento da produtividade do nosso rebanho, quanto na redução expressiva dos gastos relativos aos animais", comenta, finalizando.

Fonte: ABS

Maisnotícias

  • ABHB: PampaPlus auxilia na seleção de animais e traz retorno econômico ao criador

    Genética, Informação | 22 de Janeiro de 2021
    Foto: Gabriel Oliveira / Agência El campo
    O uso de programas de melhoramento genético vem mostrando a cada dia sua importância dentro da porteira. Nesse sentido, o trabalho do PampaPlus, Programa de Melhoramento Genético Oficial da Associação Brasileira de Hereford e Braford (ABHB) é fundamental para auxiliar na seleção de animais superiores, que trazem ...
  • Conexão Delta G: Melhoramento genético promove qualidade da carne do produtor ao consumidor

    Genética, Informação | 22 de Janeiro de 2021
    Foto: Conexão Delta G
    Conexão Delta G busca trabalhar de forma direta e indireta para auxiliar produtores comerciais Com o mercado da carne aquecido, a produção na ponta também busca garantir a qualidade do produto que chega ao consumidor final. Neste ponto, o melhoramento genético pode contribuir para que o produto tenha a excelência ...
  • RS: Tecnologia no reforço da sanidade animal entra em nova fase

    Informação | 21 de Janeiro de 2021
    Foto: Fundo Estadual de Defesa Sanitária Animal
    Poucos países tem o nível de informações disponíveis no RS A análise dos últimos focos de febre aftosa registrados no Rio Grande do Sul, há 20 anos, vai contribuir para a definição dos parâmetros utilizados nos modelos matemáticos que determinam a velocidade e direção da disseminação do vírus em caso de...
  • Febre Aftosa: RS dá mais um passo em direção a novo status sanitário

    Informação | 18 de Janeiro de 2021
    Foto: Imagens da Internet
    Comitê científico da OIE avaliará pleito esta semana Essa semana o Comitê Científico da Organização Internacional de Saúde Animal (OIE) avalia o pleito do Rio Grande do Sul para reconhecimento de área livre de febre aftosa sem vacinação. “Trata-se de mais um passo para o estado, que poderá refletir diretam...
  • ABS lança Catálogo Leite Europeu 2021

    Genética | 18 de Janeiro de 2021
    Foto: Assessoria de Imprensa ABS
    A ABS lançou, esta semana, o novo Catálogo Leite Europeu 2021, com as opções em genética das raças Holandês e Jersey. No material, a empresa apresenta quantidade de touros diversificada que atende todos os planos genéticos do mercado com grande intensidade de seleção. O catálogo ABS oferece informações comp...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais