Cadastre-se no site

Cadastre-se e fique informado em primeira mão sobre os principais acontecimentos da Assessoria Agropecuária
Porto Alegre, 03/08/2021

Redes sociais

Agendade eventos

Últimosartigos

Rebanhos leiteiros e a importância do manejo reprodutivo

Genética, Informação | 06 de Abril de 2021

Tiago Ferreira - Gerente Técnico de Leite da Alta Genetics

Foto: Alta Genetics

Neste artigo, o Gerente Técnico de Leite da Alta Genetics, Tiago Ferreira, comenta sobre a importância do manejo reprodutivo e da coleta de dados nos rebanhos leiteiros

Acredite! Demonstrar a eficiência reprodutiva dos rebanhos leiteiros pode ser uma tarefa menos complexa do que você imagina, caso tenha, é claro, as ferramentas certas para fazê-lo. Os levantamentos de reprodutivos têm como grande objetivo demonstrar justamente essa realidade, por meio de números. Com esse tipo de estudo, é possível coletar os dados relacionados ao rebanho e o quanto a taxa de prenhez tem a chance de evoluir. A partir daí, traçar metas e indicadores torna-se uma tarefa muito mais fácil, dando ao produtor um verdadeiro raio-X de sua criação.

Mas, dentro desse contexto, por que é tão importante analisar a taxa de prenhez? Bem, a conta é a seguinte! Quanto maior a taxa de prenhez – somando as vacas gestantes a partir do total de aptas – maior será o impacto dos dias em lactação médio no próximo parto. Assim, é possível que o rebanho produza mais por cada vaca, em função dos dias em lactação médio ser menor, ou seja, mais próximo do pico de lactação. Essa estratégia tem correlação direta com a evolução da taxa de vacas prenhas e é o que o rebanho necessita para alcançar os tão fundamentais 25% de taxa de prenhez, que representam bom retorno financeiro para o produtor.

Concept Plus Leite. Esse programa, levado à frente pela Alta Genetics, traz um vasto número de informações reprodutivas e produtivas da pecuária leiteira nacional. Seu foco é estabelecer referências coerentes com a realidade brasileira, e tem como objetivo discutir estratégias reprodutivas, mostrar números, indicadores e envolver pessoas de sucesso no segmento da reprodução.

No ano de 2019/2020, o Concept Plus Leite analisou os dados de 381 fazendas leiteiras, mais de 125 mil animais e cerca de 300 mil serviços aproveitados. Neste estudo, foram levados em consideração os fatores que afetam a fertilidade, com foco em estabelecer correlações adequadas à realidade nacional.

Reprodução como fator de lucratividade das fazendas. As vendas de leite representam de 80% a 90% da receita nas fazendas leiteiras e a venda de bezerros e vacas de descarte representam de 10% a 20%. Por isso, o sucesso da produção de leite depende do sucesso do nascimento de um bezerro, que torna a reprodução um componente essencial em uma operação leiteira bem-sucedida. Outros fatores determinantes são o número de vacas ordenhadas, paridade, gerenciamento da propriedade e o mérito genético.

As vacas devem ficar prenhas entre 55 e 115 dias pós-parto para otimizar a produção de leite, aumentar a quantidade de bezerros nascidos por ano e minimizar abates devido a fracassos na reprodução. A taxa de prenhez, a taxa de detecção de cio (estro) vs. a concepção, é o fator crítico da eficiência reprodutiva. O retorno econômico associado à reprodução é ótimo quando a taxa de prenhez é superior a 25%. Para atingir esse patamar, a taxa de concepção (relação de fêmeas gestantes pelo total de fêmeas inseminadas) deve ser maior que 33% e a detecção de cio na primeira inseminação precisa ser maior do que 70%. Os gestores das fazendas devem selecionar um período de espera voluntário (PEV) entre 50 e 70 dias para otimizar a taxa de concepção e utilizar um programa de manejo para controlar a intensidade da primeira inseminação. O diagnóstico deve ser programado para controlar os dias entre as inseminações.

A taxa de prenhez determina o valor econômico da reprodução. A proporção de vacas prenhas a cada 21 dias após o período voluntário de espera (PEV) determina a média de leite produzido por dia (devido à forma da curva de lactação e ao período de recobrimento). Dois pontos de controle mais importantes para atingir uma produção de 25% são a taxa de concepção do rebanho e a taxa da primeira inseminação. Portanto, as prioridades são a concepção, a intensidade da inseminação no primeiro serviço e, em seguida, a repetição da intensidade da inseminação.

Além da saúde da vaca, altas taxas de concepção também dependem do tempo adequado de inseminação em relação ao estro, qualidade do sêmen, bom manejo e colocação, e uso de touros com boa fertilidade.

Para ilustrar e trazer tudo isso para um contexto mais prático, comparamos vários indicadores do levantamento da Universidade da Pensilvânia, dos EUA e do Concept Plus leite no Brasil. Foram divididos 4 grupos por taxa de prenhez, abaixo de 25% taxa de prenhez, acima de 25% taxa de prenhez, melhores 50% de taxa de prenhez e os 10% melhores para taxa de prenhez. Confira!

 

Universidade da Pensilvânia

Concept Plus Leite

Item

Taxa de Prenhez

P valores

Taxa de Prenhez

 

< 25%

>25%

<0001

Top 50%

Top 10%

Número de observações 

359

175

<0001

381

39

Período de espera voluntário, d

52

62

0,0718

50

70

Dias para a primeira inseminação, d

79

78

<0001

62

55

Taxa serviço primeira inseminação

64%

83%

<0001

59%

88%

Taxa de concepção Todos os serviços

35%

44%

<0001

35%

45%

Taxa de prenhez

19%

31%

<0001

17%

24%

Intervalo entre as inseminações

44

38

<0001

46

36

Intervalo de partos, dias

457

415

<0001

416

383

Idade média de lactação do rebanho, anos

2,37

2,48

<0001

2,27

2,51

Leite total produzido / vaca, kg / vaca

12.490

12.044

<0001

6.538

9.263

Leite produzido por dia, kg / vaca/ IEP

27,4

29,01

<0001

15,7

24,2

Valor anual da renda / vaca, $

1.883,00

2.166,00

<0001

   

 

 
Qual seria, portanto, o ponto crítico no manejo da reprodução do rebanho? Trata-se do controle da primeira inseminação. O monitoramento da fertilidade em vacas saudáveis estabelece a fertilidade básica no rebanho e fornece uma estimativa de bem-estar das vacas de transição e os protocolos de inseminação. Existem muitas oportunidades para esse controle, e a melhor estratégia dependerá da gestão do rebanho. Sempre importante lembrar que a evolução na eficiência reprodutiva tem impacto econômico grande no Brasil e no mundo e deve ser monitorada constantemente pelo produtor, gerente da leiteria ou veterinário.

Por: Tiago Ferreira - Gerente Técnico de Leite da Alta Genetics
Fonte: Alta Genetics
 

Maisartigos

  • Venda de Reprodutores: fabricante ou lojista?

    Genética, Informação, Mercado | 15 de Julho de 2021
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Fernando Furtado Velloso
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha

    A comercialização de reprodutores é tema permanente em meu trabalho, seja nas rodas de conversas com os clientes, na assessoria aos leilões, na busca de animais para compra, na revisão de touros para centrais de inseminação, nas minhas lei...
  • ANGUS RIO DA PAZ: genética a prova de qualquer São Tomé

    Informação | 11 de Julho de 2021
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Med. Vet. Fernando F. Velloso
    Inspetor Técnico Angus - Assessor Técnico e Comercial – Angus Rio da Paz
    Assessoria Agropecuária FFVelloso & Dimas Rocha
    ffvelloso@assessoriaagropecuaria.com.br - 51 9 9835 8100

    Os reprodutores Angus selecionados pela Fazenda Rio da Paz estão a prova de qualquer São Tomé. O ...
  • Como a pecuária gaúcha em Áreas de Proteção no Bioma Pampa é sustentável?

    Informação | 11 de Julho de 2021
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Por Alexandre Valente Selistre
    Advogado, pecuarista e doutorando NESPro/CEPAN/UFRGS
    valenteselistre@gmail.com

    Pergunta que inquieta os pecuaristas sul-riograndenses, afinal: é permitido ou proibido criar gado na Reserva Legal? Ao contextualizar uma série de conceitos, o texto refuta severas críticas à pecuária, explica...
  • EMBRAPA: Pecuária é capaz de gerar crédito de carbono com média lotação no pasto

    Informação | 06 de Julho de 2021
    Foto: Divulgação/Assessoria
    Um sistema de média lotação, de 3,3 unidades animais (UA) por hectare, em que se recuperou a pastagem degradada, foi capaz de neutralizar as emissões de gases de efeito estufa de bovinos e ainda gerar créditos de carbono correspondentes ao produzido por seis árvores de eucalipto. Uma unidade animal corresponde a 45...
  • Optar por ser reativo aos números do mercado? Nem Freud explica!

    Mercado | 23 de Junho de 2021
    Foto: Alta Genetics
    Produtores que não se organizam para melhor conviver com os momentos de alta e baixa do ciclo pecuário escolhem pegar carona em um automóvel desgovernado

    Fundada em 2003, a TESLA revolucionou o mercado de automóveis ao tornar realidade carros que se locomovem sem a necessidade de motoristas, e mais, contam com índice...

Nossosparceiros

Nossosclientes

Redes sociais